"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Ignorância, pobreza e religião: combinação mortal

África

Mais de uma vez meus olhos lacrimejaram enquanto lia depoimentos e assistia vídeos sobre esta matéria. É triste e lamentável o que acontece com crianças pobres em pleno século vinte e um.

Partilho o assunto com vocês para que tomem consciência dessa combinação que pode ser mortal: ignorância, pobreza e religião e para que cada um possa fazer a sua parte para minimizar a situação, nem que seja simplesmente divulgando (pode chegar até alguém que se candidate a voluntário).

Crianças-bruxas e crianças-talibés, diferentes etnias e diferentes religiões, mas todas vítimas da ignorância de seu povo, da pobreza de seus pais e da ganância de líderes religiosos.

“Talibé é uma palavra de origem árabe e significa discípulo ou seguidor.

No Senegal talibé é o termo usado para um menino que é obrigado a mendigar pelas ruas. São crianças com idades entre 5 e 17 anos que são enviadas por seus pais para os Marabus, a fim de que estes ensinem a elas a educação Corânica.

Talibés, assim como crianças de rua, são facilmente reconhecíveis em todo Dakar através dos trapos que elas vestem e pelas latas de extrato de tomate que balançam em torno de seus pescoços. Marabus são líderes muçulmanos altamente respeitados pela população e pelas autoridades locais. Um Marabu pode ter entre 15 e várias centenas de talibés sob seus cuidados a depender de sua reputação. Sua missão é ensinar a educação corânica aos talibés. Esta formação é acompanhada por iniciações práticas na vida da comunidade, para adquirir o senso de humildade e resistência em todos os tipos de provações.

Os talibés vivem muitas vezes em condições desumanas, onde fome, sede e doenças são terrivelmente excessivas. Mendigar é parte da educação corânica. Durante o dia, os marabus enviam os seus talibés para às ruas para que eles possam mendigar. Os marabus exigem uma quota equivalente a um dólar por dia, e se o talibés não atingem essa meta, eles são espancados pelos seus “educadores”. Estima-se que os talibés já representam mais de 120 mil da população no Senegal. Mesmo que eles recebam alguma educação de seus professores religiosos, esta educação é tão ínfima que não é capaz de proporcionar a eles sequer um emprego decente.

A maioria vive em uma daara – um tipo de barraco – que funciona como uma escola corânica e é compartilhada com até 25 – 30 outros meninos. A daara é controlado por um marabu (professor) que recebe o dinheiro recolhido pelos meninos. Esses úmidos, apertados e sufocantes alojamentos oferecem condições propícias para a disseminação da tuberculose e outras doenças infecciosas. Água encanada é algo que não existe nesses lugares. As crianças raramente se banham. Elas dormem, comem e trabalham com as mesmas roupas. Alguns marabus insistem que as crianças não tomem banho ou lavem as suas roupas para que as pessoas tenham pena delas e doem mais.” - http://caminhonacoes.com/novo/o-que-e-talibe/

Já na Nigéria, é outro o infortúnio das crianças: são acusadas de bruxas pelos pastores (pentecostais e neopentecostais) para que os mesmos, por altos preços, as exorcizem do mal do qual estão possuídas.

“Se algum líder religioso atribui esta condição a alguma criança, ela fica para sempre marcada por esse estigma. Se alguém da família dela fica doente, a culpa é da criança-bruxa, qualquer mal que aconteça acaba sendo ligado à criança-bruxa.

“São praticadas várias torturas contra as crianças. O cardápio da violência inclui prego na cabeça, engolir ácido, derramar óleo quente, tudo no desespero de tirar da criança o suposto feitiço.” http://caminhonacoes.com/novo/dentista-salva-criancas-bruxas-na-africa/

“Domingos Pedro só tinha 12 anos quando seu pai morreu. Ele se foi subitamente, e a causa da morte era um mistério para os médicos. Mas não para os parentes de Domingos. Eles se reuniram naquela tarde, na casa de barro em que a família de Domingos vivia, conta o menino, e o apanharam e amarraram suas pernas com uma corda.

A corda foi suspensa da viga de 3 m de altura que sustentava o telhado da construção, e o menino foi suspenso, de cabeça para baixo, por sobre o piso de terra. Em seguida, os parentes disseram a Domingos que cortariam a corda caso ele não confessasse que assassinou o pai.

"Eles gritavam 'bruxo! Bruxo!'", lembra Domingos, com lágrimas escorrendo pelo rosto. "Havia tanta gente gritando comigo, todas ao mesmo tempo." Aterrorizado, Domingos lhes disse o que desejavam ouvir, mas isso não bastou para apaziguar os parentes.” (http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI2079639-EI294,00-Criancas+africanas+sao+acusadas+de+bruxaria.html)

Domingos foi salvo, mas muitos outros não tiveram essa sorte.

Mais de 5 mil crianças foram assassinadas ou estão desaparecidas desde 2005.

Caminho Nações é uma associação humanitária sem fins lucrativos fundada pelo movimento cristão “Caminho da Graça” em 2010 que realiza um serviço extraordinário de ajuda a essas crianças tão desafortunadas.. É de orientação cristã, mas seus colaboradores voluntários pertencem a várias orientações religiosas, como espíritas, católicos, muçulmanos e inclusive ateus. Para fazer doações ou trabalhar como voluntário, acesse o site http://caminhonacoes.com/novo/

Assistam a um dos vídeos:

https://www.youtube.com/watch?v=2iBrvP9WiLQ#t=472

Imagem: youtube

Este blog foi criado para você, leitor. E só saberei se você está satisfeito se comentar os posts, ou então, pergunte, questione e sugira temas ou modificações.

10 comentários:

SUCRIS disse...

É!ESSE MUNDO É MESMO UM TRITURADOR
Não digo que outras raças não tenham suas dores.Mas porque reencarnar na raça negra é milenar o seu sofrimento?Porque a ignorância,a violência e dores carnais sempre estão na precoce vida deste povo? Várias hipóteses já foram levantadas.Nenhuma totalmente satisfatória!Só o malfadado Karma consegue ilustrar essa trajetória,mesmo assim a meia boca!É um fardo e tanto,será que em algum TEMPO,será desmitificado esse "embroglio"?Abraço Fraterno

Beth Muniz disse...

Oi Atena,

Sinceramente, não sei o que será do povo africano, especialmente na África Ocidental, onde se localiza a Nigéria e o Senegal. Países infestados pelos fundamentalistas religiosos, especialmente os evangélicos e os mulçumanos.

Região infestada, também pela corrupção, guerra civil, violência sexual contra as mulheres, e física, contra as crianças.

Não percebo as grandes potências ocidentais preocupadas com esta situação. A América do Norte, também não.

O Brasil, até recentemente, não fazia nada. Isso começou a mudar a partir do governo Lula, e segue com Dilma. Entretanto, a atuação restringe-se à área social, já que do ponto de vista das questões no seu texto postas, só uma ação institucional mundialmente articulada por organismo do tipo ONU, OEA,OTAN,daria resultado. Quem se atreve...

Os europeus, os maiores saqueadores das riquezas materiais africanas, estão mais preocupados com a manutenção da zona do EURO, e a sua sobrevivência. Os americanos, com a suas guerras internas, Espionar o mundo e, evitar massacres coletivos nas escolas.

Os brasileiros - classe média conservadora, perdem precioso tempo na internet, curtindo ali e acolá, falando mal dos programas de inclusão social, do governo Dilma, dos políticos, dos rolezinhos, dos Mais Médicos, do Sus, elogiando bunda, novelas, BB’S, e sequer sabem o desejam saber onde fica, pelo menos no Mapa do Mundo, o continente Africano, suas mazelas sociais, políticas e/ou religiosas. São sim, o que chamo de revolucionários de MERDA!

Assim, ficam abertas todas as portas para que loucos e fanáticos façam o que veem fazendo há décadas na áfrica.

Deveriam fazer um estágio por lá.

Ufa!
Desabafei!

Valeu Mestra.

Pelo menos a nossa parte fazemos: escrevendo, alertando e denunciado.

Beijo.

Atena disse...

Sucris:
Também já me perguntei que diacho de sina têm os africanos.
Ouvi de alguém, tempos atrás, que os negros da África do Sul eram reencarnações dos nazistas, ou seja, estariam resgatando o que fizeram. Não sei, talvez o karma explique, mas de qualquer forma acho que se for isso é um baita karma negativo. Cruz credo!
abraços

Atena disse...

Beth:
Deu para notar sua indignação com o exposto na matéria.
Os sinhozinhos brancos, agora que não podem mais ser colonizadores, entregaram a África ao seu pobre destino. Infelizmente esse passado de colonizados continua dando seus frutos na ignorância que permeia aquele continente. A maior parte das mazelas africanas é fruto da ignorância de seu povo. Situação lamentável e muito, muito triste.
Concordo com o que disse sobre a nossa classe média, mas pelo menos no meio dela ainda há pessoas que se importam como o dentista que faz parte do Caminho Nações.
beijos

Agregador de links disse...

Olá, tudo bem?
Já enviou sua postagem de hoje ao Agregador de links do Portal Teia?
Bora lá , seu blog é sempre bem vindo!
E não esqueça de visitar os outros blogs dos nossos amigos.
Estamos esperando!
http://agregador.agenciawd1.com

Atena disse...

Olá, Alfredo:
Ainda não, por falta de tempo, mas já irei lá.
abraços

Victor Martins (desabadevaneios.blogspot) disse...

Realmente esse povo passa por uma situação de Karma!Séculos passados não negam a falta de estrutura e auxilio para aquela região.Realmente concordo com a Beth.Revolução hoje em dia é curti o BBB na sala para comentar quem tá querendo "catar" quem!Pouco nos preocupamos com nossos semelhantes,pouco reagimos para uma ajuda necessária!abç Atena.

Atena disse...

Victor:
Pois é, a humanidade, cada vez mais, se torna egocêntrica. E também fútil, pois não é só no Brasil que as pessoas se interessam mais por futilidades do que por coisas sérias.
Abraços e obrigada pela visita

joselito bortolotto disse...

É .... a Africa é apenas um segmento, talvez uma pouco mais latente das diversas intolerâncias que o fundamentalismo nos leva ...

Atena disse...

Oi, Joselito:
Realmente, hoje vivemos num mundo com muitos fundamentalistas, nas mais diversas áreas. A África, onde tudo é mais exacerbado, me causa muito dó. pois não são só as crianças que sofrem.
Obrigada pelo comentário e abraços