"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

O retorno do medo contagioso

medo contagioso

Já postei aqui sobre o medo, mas hoje vou retornar ao tema porque tenho notado que atualmente está havendo uma propagação muito grande do medo. Se navegarmos pela internet procurando assuntos como 2012, conspirações, Illuminati, Nova Ordem Mundial, erupções solares, final dos tempos, etc. encontraremos milhares, talvez milhões, de páginas.

Mesmo aqueles que dizem não crer em nada disso não estão a salvo, pois não dá para ignorar a força do inconsciente coletivo.

A humanidade sempre acreditou em profecias e infelizmente o livro mais lido até hoje (Bíblia) tem no seu capítulo final as chamadas profecias do apocalipse. E como tem gente que acredita que o que está lá é verdadeiro! Isso afeta o inconsciente coletivo, passa a fazer parte dele.

Na passagem do ano 999 para o ano 1.000, houve pânico e muitos suicídios porque as pessoas achavam que seria o fim do mundo. Bom, não aconteceu, mas o ano 2.000 trouxe novamente à baila a neura do final dos tempos e, como já estávamos em plena era tecnológica, veio mais um adereço ao apocalipse: o “bug do milênio”.

E o mundo não acabou e o bug não deu as caras. rsrs

Agora há o “fatídico” 2012. Quantas histórias e interpretações dos escritos maias já andam por aí. Claro que há alguns mais informados e de bom senso que explicam que os maias não previam o fim do mundo e sim o final de um ciclo cósmico. Mas não tem jeito, aqueles que “querem” que o mundo acabe não se convencem.

Como se não bastasse o 2012 ainda temos em curso uma grave crise financeira mundial (que mete medo nos capitalistas) e os insanos Netanyahu e Ahmadinejad trocando farpas, querendo começar uma guerra (que mete medo naqueles que acreditam numa terceira guerra mundial). Aff! Ou seja, vivemos um período de crises e incertezas e isso gera medo nas pessoas, o que somado às malditas “profecias” acaba se tornando uma bola de neve.

O psicoterapeuta americano Srinivasan Pillay, professor da Universidade de Harvard, diz que “o medo hoje é o mais central dos fatores que impedem as pessoas de viver plenamente”. Ele até escreveu um livro a respeito.

O medo pode assumir duas formas de se manifestar: como a emoção forte ante uma situação real de perigo ou como a sensação difusa de desconforto emocional, pensamentos persistentes sobre determinado assunto, medo de perder o controle de sua vida, preocupação, doenças recorrentes, tensão, etc. A isto se chama ansiedade difusa. A ansiedade faz parte do sistema de defesa do ser humano e é normal sentir ansiedade quando há a percepção de um risco iminente, seja ao físico seja ao psíquico.

Segundo pesquisadores do Laboratório de Neurociência Comportamental da PUCRJ, que estudam o assunto, a ansiedade é a manifestação patológica do medo. O medo é uma emoção básica, nós dependemos dele para a nossa sobrevivência, mas quando ele assume um caráter epidemiológico (parecendo ter um componente contagiante) torna-se altamente negativo.

O pessoal esotérico, em seus blogs e vídeos, fala muito no perigo do controle, partindo da elite mundial (leia-se Illuminati), sobre a população do planeta. Há muito, mas muito mesmo, material sobre isso na internet. O mais estranho é que esse pessoal sabe que aquilo sobre o qual fixamos nossa atenção tem mais probabilidade de se tornar real. Portanto, se não querem o suposto controle dos Illuminati por que cargas d’água falam tanto sobre o assunto e divulgam tanta informação sobre temas afins? Estariam fazendo exatamente o que os “trevosos” rsrs querem!

Mas existe uma razão para acreditar em teorias conspiratórias: “Acreditar em teorias conspiratórias pode diminuir medo da morte e pode aliviar o sentimento de perda de controle, dando-lhes uma razão do por que as coisas acontecem” (http://hypescience.com/acreditar-em-teorias-conspiratorias-pode-diminuir-medo-da-morte/

É a velha história de colocar no exterior (nos outros) a responsabilidade pelo que nos acontece. Os crentes, com seu complexo de culpa embutido pelas religiões, também estão falando na Nova Ordem Mundial e nas “barbaridades” que já estão sendo e serão cometidas pela “elite”.

Quando entro nesses sites fico bestificada com as sandices que leio, mas ao mesmo tempo dou muita risada. É inacreditável a capacidade que a humanidade tem de criar histórias com aparência de verdade e acreditar piamente nelas. Aff!

Ser humano é realmente um bicho complicado! Não consegue viver cem por cento bem, sempre arranja alguma coisa para “embolar o meio de campo”.

Na pesquisa com fMRI (imageamento por ressonância magnética funcional), foi mostrado que a reação ao estímulo indutor de medo manifesta-se na amígdala, uma estrutura arredondada em forma de amêndoa, localizada abaixo do lobo temporal, portanto quando o medo e/ou a ansiedade aparecer em sua vida faça o exercício do Dr. Martim Portner explicado nesta postagem que acalmará a amígdala e deixará você tranquilo.

Por último: o mundo não vai acabar em dez/2012!!! Acreditem em mim, eu tenho uma bola de cristal que não erra!!! rsrsrs

Imagem: frasesparaface.com.br

Este blog foi criado para você, leitor. E só saberei se você está satisfeito se comentar os posts, ou então, pergunte, questione e sugira temas ou modificações.

18 comentários:

Anônimo disse...

De fato, há muitas abordagens um tanto radicais sobre 2012, teorias conspiratórias, etc, no entanto, apesar de trazer fatos "extraordinários" há verdades nelas.
Muitas delas exploram o medo em sua dimensão máxima dando a impressão que tudo está perdido.
O medo é um atributo difícil de ser compreendido, pois se manifesta das mais diversas formas e quem o conhece bem o explora em prol de objetivos bem definidos.
A manipulação das pessoas é facilitada quando se tem medo. Isto a grande mídia e tb a alternativa trabalham de forma a incutir o temor, pois sabem que nós tememos o desconhecido.
O "remédio" para isso é a COM CIÊNCIA, ou seja, ter conhecimento de como este "teatro 3D" funciona e o que somos nesta peça teatral.
Este jogo "termina" quando temos CIÊNCIA de que esta aventura é uma forma de aprendizado dentro de uma "plataforma" específica para um fim determinado.
Mas para termos esta COM CIÊNCIA devemos compreender os fundamentos do jogo, seus elementos constituintes, suas regras e a dinâmica dos procedimentos.
Este "mundo" é um jogo interativo em que as "consciências" aparentemente individualizadas devem descobrir que são partes do todo, ou seja, que a divisão, dualidade são apenas ilusórias.
As respostas para os grandes dilemas da "humanidade" estão escondidas dentro de "si próprio", por isso é tão difícil achá-las.
Portanto, escute-se, procure entender o que realmente está dentro de ti.
É o que muitos blogs já abordaram em muitas matérias, e que é o caminho para sair deste jogo.
Ats.
Marcelo.

Beth Muniz disse...

Oi Atena,
Adoro essa sua bola de cristal!
Os meus medos são por outros motivos, que claro, não vou aqui revelar. rsrs
São mais concretos e físicos.
Quanto aos que você aborda, quando batem, abstraio o mais rápido possível.
Beijo querida.
Bom final de semana.

Atena disse...

Marcelo:
Você abordou o tema brilhantemente em sua análise.
Na história da humanidade o medo sempre foi muito usado para a manipulação do povo.
Dou-lhe razão quanto ao que diz por isso o objetivo deste blog é expandir as consciências, incluindo aí o dando ciência.
Apenas permita-me uma discordância: as consciências são individualizadas, o que não impede que também façam parte do todo.
Obrigada pela visita e seja sempre bem vindo.

Atena disse...

Sábia amiga Beth:
Faz bem em abstrair logo o que é ruim.
Pois é, a gente já tem tanta coisa real e física para nos meter medo.
beijos evolte sempre

Gabriel Correia disse...

Olá Atena tenho minha própria teoria apocalíptica de um mundo pseudoevoluido de valores desgastados e caóticos, assolado por bestas humanas. E não estamos tão distantes disso. Por bem eu tenho também, a alternativa a esse panorama sombrio, a CULTURA DA NÃO COVARDIA, que você já conhece. O que diz sobre isso sua bola de cristal? Um abraço.

Atena disse...

Gabriel:
Eu concordo com você em muita coisa, mas sou bem mais otimista quanto ao futuro da humanidade.
Estamos aqui numa jornada que começou há muito, muito tempo, e demoramos bastante para evoluir a consciência, contudo nunca antes em nossa história tantos estiveram mais conscientes como agora. Estamos progredindo. Vai levar tempo para que essa evolução atinja a todos, mas o principal é que já começou.
abraços e obrigada pela visita

Samanta Sammy disse...

Olá Atena, como vai? ;)

Excelente artigo, gostei muito desta leitura. Estes dias estava assistindo a um documentário que me deixou chocada... Os repórteres passaram por diversas comunidades que vivem em função do "novo" fim do mundo de 2012... A maioria são pessoas muito ricas que estão utilizando todos os seus recursos materiais para construir uma cidade à prova do fim... Vivem todos os dias focados nisso... Fiquei pensando e acho que você tem razão quando diz que isso é uma maneira de controlarem o que não podem controlar. Uma forma de se livrar da única coisa que não podemos controlar, a morte. Talvez seja uma forma de se sentirem mais seguros quanto a isso. Cheguei a comentar com meu marido, este ano vamos ver mais tragédias como suicídios coletivos e insanidades por conta das maluquices que as pessoas escolhem acreditar. E o pior, escolhem sem questionar, sem raciocinar... Agora pouco estávamos vendo outro programa falando sobre isso e diante de algumas colocações, resmunguei aqui : que loucura... podemos sair do sofá, cair e bater a cabeça... Porque ficarmos sofrendo por antecipação, o fim é inevitável.
Sei bem o que é isso, quando minha avó morreu eu fiquei paranóica. Pensava dia e noite, vamos morrer, vamos morrer, todos vamos morrer, será que vou morrer agora? será que meus entes vão morrer quando? será que estão seguros neste momento?
Fiquei quase maluca com isso! Até que percebi que eu queria mesmo era controlar a situação. Então fui me acalmando e me conformando com o fato de que podemos ser mega ultra desenvolvidos, mas não podemos controlar estas coisas :)
Acho que ao invés de ficar procurando pêlo em ovo, deveríamos dar mais atenção à nossa evolução como seres humanos e assim, quando chegar a hora, teremos a paz de ter vivido plenamente e aproveitado bem nossa passagem por aqui ;)

Grande beijooo e bom fim de semana !

Atena disse...

Oi, Sam:
O medo da morte e a nossa falta de controle sobre ela gera muitos medos e atitudes, às vezes, estapafúrdias.
Interessante você ter falado nos ricos que estão providenciando uma moradia "à prova do fim do mundo" (como se isso fosse possível), pois já vi na internet que governos de países ricos estão construindo ou já construíram subterrâneos para onde irá uma elite com essa mesma ideia.
Pelo que tenho lido, parece que eles, a elite, têm conhecimento de profecias que os demais desconhecem. E, pelo jeito, eles acreditam nessas profecias. Aff!
Como você bem disse, podemos morrer daqui a um ou dois minutos, então por que se preocupar com o assunto, não é?
A morte é o único evento realmente inevitável e provavelmente é isso o que apavora as pessoas que não tem conhecimento de que a morte é somente uma mudança de dimensão. Somos eternos.
Quando ficamos nos preocupando com o futuro deixamos de curtir o presente que, como a própria palavra diz, é uma dádiva.
beijos e um ótimo domingo

Portal de blogs Teia disse...

OI Atena,gostei muito do texto,parabéns.
Post no Teia.
Até mais

RICARDO SENEE disse...

Olá tudo bem, gostei muito do seu blog, poderíamos fazer parceria, tem interesse? Abraços - http://ricardosenee.blogspot.com.br

Atena disse...

Alfredo:
Que bom que gostou, obrigada.
Abração

Atena disse...

Olá Ricardo:
Seja bem vindo.
Explique melhor o que seria essa parceria. Pode me enviar e-mail: iamatena@gmail.com
abraços

Luz13 disse...

Gostei do blog. Lembrei de Aline, da Cidade das Pirâmides, que afirma: "O auto-conhecimento desperta a nossa consciência"."A consciência desperta nos leva a sabedoria de sermos senhores apenas de nosso universo"." O amanhã depende da sua atitude do hoje, o passado é um arquivo referencial”. Veja o seu programa ww.deolhonomundo.com e o seu blog http://deolhonomundoblog.wordpress.com/, tenho certeza que você irá gostar! Abraços.

Atena disse...

Luz13:
Obrigada pela indicação, gostei do blog da Aline.
Seja sempre bem vinda e volte sempre.
abraços

Luciana disse...

Acho que sou meio desligada do inconsciente coletivo.. pelo menos que que se refere ao fim do mundo..

Eu tenho medo de muitas coisas mas não do fim do mundo e dessas profecias.. até porque para mim elas não tem credibilidade nenhuma.. O mundo já teve para acabar varias vezes desde que nasci..kkkk.. e eu realmente nunca achei que fosse acontecer de verdade..

Atena disse...

Florzinha:
Você está absolutamente certa. De tempos em tempos surge essa paranoia de fim de mundo , mas só fica no papo furado, nada acontece.
beijos

Valéria Mello disse...

Olá querida!

Você já reparou que as maiores atrocidades que aconteceram na terra foram originadas pelo preconceito? E estas tinham um fundo de proteção a moral (ou o moral). Finalmente, se embasavam com a assinatura "Deus". Falo isto, porque o maior medo é não ter poder, é não estar no comando, é ser contestado, é ouvir o que não cabe na cabeça.

Eu sou mais simples. Tenho medo de morrer. Tenho medo de fechar os olhos e não ver mais nada. Acho que é também uma espécie de comando, né?
Então, juntado as duas coisas, esta coisa de medo fará parte da gente. Como envelhecer e as ver a sua vida e mente mudando. A gente tem que aceitar e viver isto da melhor forma possível. Sem se preocupar em comandar tudo. Deixa a vida levar, né?

Bjinhos e carinho,

Valéria

Atena disse...

É Val, enquanto não evoluirmos seguiremos tendo medo de morrer.
Quanto às atrocidades e guerras concordo que o preconceito e medo de perder o controle atuam, mas principalmente a ganância e o fanatismo religioso.
Não tenha medo de morrer, não. rsrs Morte não existe, somente troca de dimensão.
Obrigada pela visita e beijos mil