"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Intuição é fé, inspiração ou conteúdo inconsciente?

intuição

Dei uma rápida pesquisada na internet e encontrei os mais variados conceitos sobre intuição. Por exemplo:

- Depoimento de um espírita: seriam conhecimentos prévios (de vidas anteriores) sobre determinado assunto, situação, etc.

- Segundo a Psicologia: são conteúdos inconscientes.

- Segundo a Filosofia: há duas grandes modalidades da atividade racional, realizadas pela razão subjetiva ou pelo sujeito do conhecimento - a intuição (ou razão intuitiva) e o raciocínio (ou razão discursiva). A razão intuitiva pode ser de dois tipos: intuição sensível ou empírica e intuição intelectual.

- Segundo um determinado autor: uso da linguagem do coração.

- De um site espírita: o insight de uma descoberta poderia, perfeitamente, provir do sopro de um espírito amigo.

Segundo experiência própria e pesquisas realizadas, nenhuma das asserções acima está correta.

Vidas anteriores influenciam mais é o nosso comportamento e não nosso conhecimento.

Conteúdos inconscientes não são capazes de saber o que vai acontecer e, portanto, nos impedir de tomar um avião que vai cair, por exemplo.

Insight é uma compreensão repentina e está baseada em prévio conhecimento (memória), é um mecanismo cognitivo, não possui as características da intuição.

Já relatei aqui um fato que ocorreu comigo e que é um exmplo perfeito do que é a intuição. Vou repeti-lo para aqueles que não o leram.

Eu tinha uns 14 anos mais ou menos quando voltando para minha casa, estando já no lado da rua onde a mesma se situava, inesperadamente (sem pensar) atravessei a rua para o outro lado. Exatamente quando cheguei à calçada oposta ouvi um forte barulho e me virei para o lado de onde tinha vindo e vi um cabo de alta tensão chicoteando no chão exatamente onde eu iria estar passando. Parece que me salvei da morte.

Meu inconsciente teria condições de saber que o cabo iria rebentar? Claro que não. Foi algo intuído e não racionalizado. O racional teria sido continuar caminhando pela mesma calçada de minha casa.

Então de onde vem a intuição? Ela vem de nossa essência - que é divina. É uma parte nossa à qual são poucos os que dão atenção. Se fosse cultivada, com certeza, teríamos uma vida melhor.

“A intuição está sendo cada vez mais reconhecida como uma faculdade mental natural, um elemento-chave na descoberta e resolução de problemas, na tomada de decisões, um gerador de idéias criativas,um premonitor, um revelador da verdade.” (Philip Goldberg)

Segundo Goldberg, as percepções dos sentidos e o pensamento racional não são as únicas maneiras de conhecermos alguma coisa. Para ele, a intuição é uma forma superior de PES (percepção extra-sensorial).

Em seu livro Intuitive Edge, Philip Goldberg descreve seis tipos de intuição:

Descobridora – introvisão de fatos a serem descobertos (é o famoso ahá!).

Geradora – oportunidades ou possibilidades alternativas.

Avaliadora – voz interior que em certas situações censura ou critica.

Possibilitadora - (estar no lugar certo, na hora certa seria um dos casos).

Operativa – guia as nossas ações (não entrar num avião que sofrerá um acidente, por exemplo).

Profética – pressentimento ou palpite que algo irá acontecer.

Iluminação - no sentido espiritual; é a forma superior da intuição.

Como diferençar um pensamento de nossa mente da intuição? Sinto muito, mas não há receita pronta para quem não está acostumado a seguir a sua intuição. Isso vem com o tempo. O que oferece mais ou menos uma pista é termos uma “certeza” que não sabemos explicar.

E não esquecem: sempre que não seguirem sua intuição, vão se dar mal. Isso não falha.

Imagem: portalterrabase.blogspot.com

Este blog foi criado para você, leitor. E só saberei se você está satisfeito se comentar os posts, ou então, pergunte, questione e sugira temas ou modificações.

14 comentários:

Luciana disse...

Eu me lembro até hoje de algo que ocorreu na minha infância.

Eu tinha 6 naos quando minha mãe engravidou da minha irmã. E eu fiquei muito feliz porque iria ganhar uma irmmãzinha. O medico ainda não havia dito que seria menina mas eu sabia que seria, de alguma forma eu sabia. Eu tinha uma sensação de certeza tão grande.. Foi algo que nunca mais se repetiu na minha vida.

Um dia eu e meus pais estávamos em uma loja para comprar sapatinhos para o bebe. E eu falei para meus pais comprarem o rosa. E eles disseram que não pois não sabia se era menino ou menina. E eu expressei toda a minha certeza naquele momento disse que seria menina com toda a certeza, que não tinha duvidas nenhuma disso.

Mas, meu pai, que é uma pessoa extremamente racional, disse que eu não teria como saber disso. Que provavelmente eu estava torcendo tanto para ser menina que havia me convencido disso. Mas eu insisti. Eu fiz de tudo para meus pais comprearem o sapato rosa, mas não teve jeito.

Meus pais começaram a ficar preocupados com essa minha certeza tida. Ficaram preocupados em como eu reagiria se nascesse um menino. Com o tempo eu parei de insistir no assunto.

E maus passei a falar para as pessoas a versão do meu pai. POis meus pais me "desmentiam" quando eu falava que eu sabia. E eu comecei a pensar que essa não era uma questão muito dificil mesmo. Era 50% de chance de acertar. Mas aquilo não foi um chute. O que se sente internamente em um chute é bem diferente da certeza e segurança que senti naquele momento

E essa foi a ultima vez que eu senti tanta certeza em mim. Foi algo que nunca mais se repetiu.

Atena disse...

Luciana:
Que pena que conseguiram afastar de você o acesso à intuição. Isso é comum acontecer com a gente quando somos pequenos, os pais nos convencem que estamos errados a repeito de alguma coisa e nós acreditamos neles. Com isso, essa facilidade que a criança tem de acessar certas áeas nossas acabam ficando bloqueadas.
Agora que você já sabe que estava certa na sua "certeza", pode se desbloquear. Com essa permissão, aos poucos a intuição recomeça a se manifestar. Não custa tentar...
beijos

Beth Muniz disse...

Cheguei!
Fala Mestra,
Que texto interessante...
Gostaria tanto de conversar com você pessoalmente sobre tudo isso...
Mas, como não me é possível, digo-lhe: já vivi e senti fenômenos que poderiam ser classificados nas categorias: primeira (D), terceira (G) e sexta (Pr), mas juntas e misturadas.
Não vou detalhar aqui por uma questão de reserva.
Até hoje eu tenho uns eventos PES, que quando batem, respeito.
No início foi aterrador. Cheguei a buscar ajuda "especializada". Como não gosto de seitas, me virei sozinha.
Mas, hoje, lido com isso sem maiores problemas.
É isso!
Então, desejo a ti um NOVO ANO repleto de Paz, Saúde e muito carinho.
Obrigada pela amizade.
Beijo.

Atena disse...

Beth querida:

Cheguei a rir lendo sua declaração de que no início foi aterrador. É isso mesmo! Aconteceu comigo também, não em relação à intuição, mas à primeira vez em que houve uma quase saída do corpo. Imagina eu, fazendo faculdade de Psicologia... achei que estava alucinando. rsrs Foi uma época horrível, pois não sabia o que me acontecia e os livros e mestres psicólogos também não serviam de ajuda.
Boa parte da humanidade passa por episódios de PES. Algumas pessoas nem se dão conta, outras procuram descobrir, se informar a respeito e uma boa maioria não dá bola e segue com sua vidinha dentro dessa ”realidade” que parece real. rsrs
Como você, não sou chegada à religiões ou seitas, então comecei a minha pesquisa dos assuntos chamados “místicos” que vem até hoje. O que aprendi tenho partilhado um pouco aqui.
Quando quiser, podemos falar sobre o assunto usando o skipe. Vou lhe mandar por e-mail meu endereço.
beijos

Van disse...

Oi Atena

Intuição para mim é algo tão presente, tão forte e tão natural que nem me lembra fenômeno, é algo com que convivo desde sempre, de forma premonitória, avaliadora, descobridora, enfim, de todas as maneiras que ela se apresenta dou-lhe toda atenção.

Sinto perfeitamente ser esta uma faculdade do meu organismo, de proteção, uma forma de preparar-me para fortes emoções, de proteger-me de equívocos, enfim sinto ser uma das formas evolutivas que nosso organismo se utiliza para a própria sobrevivência, e está intimamente ligada aos meus estados de concentração, de atenção a meu interior e sentimentos. Quando consigo silenciar o que me rodeia ela fica fortíssima, e, não me assusta, não mais, antes eu temia perceber antecipadamente coisas desagradáveis e a bloqueava não dando atenção, hoje me entrego às intuições sem medo ou bloqueios, a este mecanismo que julgo ser nada mais do que a evolução constante a que todo ser vivo está exposto, e sinto enorme segurança depois que aceitei este movimento interior com a naturalidade que ele deve ser aceito, sem mistificação ou temor. Quem se assusta às vezes são as pessoas a meu redor quando diz respeito a elas, já vivi situações que custaram a crer e compreender como foi possível.

Justifico-a sempre como sensibilidade, todos nós a possuímos, a diferença é que alguns dão atenção a ela, outros não.

Abraços e desejos de um excelente 2013!

Atena disse...

Van:
Saudades de encontrá-la por aqui....
Achei maravilhoso você ser tão familiarizada com a intuição. Com certeza ela nos protege mesmo.
Também já enfrentei o espanto e até descrença de outras pessoas. Quando engravidei a primeira vez, um amigo de meu marido chegou a apostar comigo que não seria a menina que eu afirmava ser. Eu sabia desde os 12 anos que meu primeiro filho seria uma menina, mas o teimoso não desistiu. Perdeu a aposta. rsrs
A intuição nos dá segurança sim, ainda não tinha parado pra pensar nisso, talvez porque pra mim também é uma coisa natural.
Obrigada pela visita.
Beijos e feliz novo ano pra você também

BUYMAZON disse...

Olá Atena, bom esta por aqui.
Considero-me uma pessoa pragmática, mas como somos parte de um todo e as partes estão em todo lugar, também digamos tenho lá meu lado místico, e dou muito valor aos meus insights, porém sempre pondero na hora de decidir. E o lógico prevalece. Já me disseram que assim eu saio perdendo, e não aprendo, cresço ou algo do gênero.
Para mim tudo bem, estou tranquila, como está.
Um abraço e obrigada por nos contar tudo isso. Obrigada Beth por divulgar.
Um abração em todas!!

Atena disse...

Olá, Ana:
Prazer em recebê-la.
Então você é do time da lógica, é? Eu também sou porque meu Ascendente é Virgem, mas já faz tempo que tive de dar espaço para a intuição. Descobri, a duras penas, que sempre que não dava bola pra minha intuição acabava me ferrando. rsrs
Seja sempre bem vinda e tenha um super 2013.
abraços

Eduardo Medeiros disse...

sem dúvida a intuição é um "algo mais" que todos nós temos mas que poucos sabem dar ouvidos a ela. eu mesmo não sou nem um pouco intuitivo apesar de saber que a intuição é real.

por esses dias, por exemplo, eu queria muito intuir quais serão os 6 números sorteados da megasena da virada mas nada me veio...hehhhhhhhhhh

um bom ano novo para você, beijos

Atena disse...

Edu:
Todos nós somos intuitivos, é só prestar mais atenção. Eu sei que os homens têm mais dificuldade em fazer fluir a intuição, mas mesmo assim o conseguem.
Quanto a acertar na megasena, eu nunca tive nenhum "palpite". Que raiva! rsrs
Beijos e um super 2013 pra você

Sissym disse...

Atena,

Eu desejo que todos sejam abençoados por Deus.
Sendo 2013 um ano iluminado.
Novas oportunidades, novos amigos e reencontros.
Saúde, paz, amor e alegria.

Vamos ser um meio para ajudar uns aos outros, usando o poder das palavras.

Permanecendo unidos nesta comunidade incrível do mundo moderno.

Bênçãos.

Atena disse...

Fadinha linda:
Digo amém a suas palavras.
Um super 2013 pra todos nós.
Grande beijo

Jackie Freitas disse...

Atena, minha querida!
É fato: todas as vezes que não sigo a minha intuição, me dou mal!Aí fico naquela: "por que não segui minha intuição?". Tenho isso tão forte que muitos me chamam de "bruxa"...rsrs
Adorei o texto (como sempre) e acho que temos ainda muito a investigar e descobrir sobre o tema. Somos surpreendidos diariamente por relatos ou até mesmo pelas próprias experiências no assunto.
Minha linda, desejo a você e à sua família um 2013 maravilhoso! Que você continue nos brindando com as suas reflexões e compartilhando as suas descobertas e conhecimentos, permitindo a expansão de "muitas" consciências!
Um grande beijo, cheio de carinho!
Jackie

Atena disse...

Jackie:
Que coisa mais boa receber sua visita e ainda saber que você tem sua intuição desenvolvida.
Comigo também, às vezes, os familiares me chamam de bruxa. rsrs Bruxa boa, do bem. rsrs
Da mesma forma desejo a você e seus queridos um super 2013, realizando seus sonhos mais caros.
Beijos mil