"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Aprendendo a lidar com a ansiedade

amígdala

Alguns anos atrás tomei conhecimento do trabalho de um neurologista que passei a transmitir aos meus pacientes e também aos alunos da época. Trata-se de uma técnica muito útil para acalmar a ansiedade e/ou estabelecer uma comunicação amigável (dr. Portner chama de empatia) em momentos em que precisamos estar no controle da situação, como por exemplo: realização de alguma prova escolar, atendendo um cliente para o qual queremos vender um produto, pedindo aumento para o chefe, etc.

Sendo o dr. Portner um cientista (cartesiano?), ele diz que a técnica desenvolve a intuição, contudo intuição é outra coisa, digamos mais transcendental. Vou dar um exemplo do que é intuição:

Eu tinha uns 14 anos mais ou menos quando voltando para minha casa, estando já no lado da rua onde a mesma se situava, inesperadamente (sem pensar) atravessei a rua para o outro lado. Exatamente quando cheguei à calçada oposta ouvi um forte barulho e me virei para o lado de onde tinha vindo e vi um cabo de alta tensão chicoteando no chão exatamente onde eu iria estar passando. Parece que me salvei da morte.

O que me fez atravessar a rua sem nenhum motivo aparente? Resposta: intuição. Agora, nenhum nervo vago poderia saber que o cabo ia rebentar e cair ao chão. Nosso cérebro não tem tal capacidade, não é? A intuição é algo que não se encontra no cérebro, está um tanto além. rsrs

Segundo o dr. Portner:

“Desde que foi possível demonstrar que o nervo vago controla o sistema límbico cerebral a partir do coração, certos aspectos do comportamento humano ficaram mais claros.

O nervo vago do coração — quando ativado — desenvolve a intuição porque:

  • além de modificar o ritmo cardíaco através da influência sobre o coração, o vago possui uma comunicação direta com o cérebro. Portanto, funciona nas duas direções;

  • é o vago o responsável pela ativação involuntária dos músculos faciais, fazendo com que eles assumam um tônus empático enquanto a "mente fala";

  • o vago engendra um atalho por fora da temível amígdala cerebral (que organiza as reações simpáticas ligadas à ansiedade) e prepara as zonas límbicas para "perceber" idéias intuitivas;

  • é o vago quem permeia as conexões com o hemisfério direito, o lado criativo e artístico do profissional;

Bem, o nervo vago não é responsável e nem desenvolve a intuição, mas a técnica ensinada pelo dr. Portner alivia a ansiedade sim, já comprovei pessoalmente e as pessoas a quem a ensinei disseram o mesmo.

Então vamos transcrever uma parte do e-book do dr. Portner que explica como a coisa funciona:

“Sempre que o cérebro percebe uma situação de estresse, a amígdala (cerebral) é posta em controle.

Ela, então, provoca algumas reações específicas. Primeiro, a batida do coração se transforma em uma batida acelerada. Durante estresse, a amígdala aumenta o número de batidas do coração. Ele também reduz a regularidade entre as batidas. A batida do coração é, primeiro, levemente acelerada; depois, a amígdala estabelece uma oscilação levemente irregular entre as batidas.

(...) A amígdala é uma das zonas mais autônomas do cérebro humano. Ela age quando quer e do jeito que quer durante a maior parte do tempo.

(...) Conseqüentemente, você pode silenciar a amígdala com o poder do coração.

E você faz isso de forma muito simples. Você usa a sintonia do coração antes de começar a conversar com o cliente. Primeiro, durante uma pequena fração de tempo, você busca sentir (não é ouvir, isso é quase impossível) o coração que bate em seu peito. A segunda coisa a fazer enquanto você presta atenção ao coração é respirar com um ritmo um pouco mais lento que habitual.

Você inspira contando até dez e expira contando novamente até dez. Contando devagar. Isso vai resultar em ciclos que duram cerca de dez segundos. O que vai dar entre aproximadamente seis e oito respirações por minuto.

O efeito de respirar devagar enquanto você desloca a sua atenção para o coração é de grande importância.

Nenhuma outra combinação tem o poder de acalmar a amígdala em tão pouco tempo.

No exemplo abaixo, obtido pelos pesquisadores do Institute of HeartMath, a metade esquerda é de uma pessoa em estado de “trabalhar conforme dá” e a metade direita é aplicando o exercício de “sentir o coração e respirar devagar”. Veja a diferença.”

Imagem1


Viram como é simples? E dá resultado. Aproveitem a dica.

Recomendo que leiam o e-book do dr. Portner (download free) para entenderem melhor como é o funcionamento completo da parte fisiológica: http://portner.sites.uol.com.br/empatia/ET.html

Imagem: tvcanal7.blogspot.com

Este blog foi criado para você, leitor. E só saberei se você está satisfeito se comentar os posts, ou então, pergunte, questione e sugira temas ou modificações.

12 comentários:

Luciana disse...

Ahh eu gostei..

sempre fui muito ansiosa.. mas melhorou um pouco. Mas tudo que eu souber para não ficar muito ansiosa é valido.. srsrs.. Isso pode ser muito util para mim que quero fazer concurso.. srsrs

Gabriel Correia disse...

Atena, qualquer dica para baixar ansiedade nos tempos de hoje é muito oportuna e bem vinda já vou praticar.
Um abração.

jomilee disse...

Oi..costumo ler seu blog e esse exercicio me interessou bastante.. vou experimentar... também li que se fizermos uma expiração mais longa do que a inspiração vamos conseguir uma calma maior pois provoca resultado no nervo vago.. li no livro do psiquiatra gerald epstein..imagens que curam.. é bom encontrar mais da pesquisa do instituto heartmath em portugues..obrigado pela dica.. abraços

Agregador de blogs Teia disse...

Oi Atena.
Vou usar essa técnica,pois sou muito ansioso,até demais.
Post divulgado no agregador de blogs Teia.
Até mais

Atena disse...

Luciana:
A ansiedade pode prejudicar muito a nossa vida, principalmente em situações como a que você vai enfrentar, um concurso. Portanto use e abuse da técnica, mal não faz. rsrs
beijos

Atena disse...

Gabriel:
Que bom que gostou. Faça bom uso.
rsrs
abração

Atena disse...

Jomilee:
Que bom saber de mais um leitor.
Então já conhecia a técnica? Não sei dizer se a expiração mais longa tem a ver com o nervo vago, mas sei que precisamos fazer espirações longas para limpar bem o pulmão, portanto é saudável.
Obrigada pela participação e seja bem vindo
abraços

Atena disse...

Alfredo:
Sinto-me contente por ter de alguma forma retribuído o que tem feito pelo blog.
abraços

Eduardo Medeiros disse...

geralmente não sou uma pessoa ansiosa mas a ansiedade sempre aparece vez ou outra. Respirar é bom para acalmar quase todas as emoções fortes. Não é a toa que o mito do gênesis diz que Deus "soprou" nas narinas do homem e ele se tornou vivente. Respirar é sentir o hálito de Deus em nós. Metaforicamente falando, claro.

Atena disse...

É só olhar para sua foto, Edu, que a gente vê que você não é ansioso. rsrs
Falou tudo, respirar é fundamental, mas a média das pessoas respira mal, faz respiração torácica e não abdominal. Aprendi isso na Yoga.
O que você falou me lembrou que já vi xamãs e feiticeiros soprar nos seus "clientes". rsrs
abração

Tiozão das Batidas disse...

Orgulhosamente programei uma 'chamada' para este ótimo artigo no site agregador de conteúdo dos Blogueiros do Brasil (( http://omelhordos.blogueirosdobrasil.com/ )).

Será publicado em 13/11/12 , no decorrer do dia.

IMPORTANTE : As visitas aparecerão no
Google Analytics e em outras ferramentas
similares como originadas na URL
http://ads.tt/ .


Abraços cordiais.

Atena disse...

Tiozão:
Obrigada mais uma vez.
abração