"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

A tortura bárbara que ainda existe no século XXI

Waris Dirie

Já disse aqui no blog que o pior mal da humanidade é a ignorância e ...

Ignorância mata!

Não só mata na violência cotidiana das cidades, nos atentados suicidas dos terroristas islâmicos, nos abortos clandestinos porque em muitos lugares o aborto ainda é criminalizado, no consumo de alimentos pulverizados com agrotóxicos, etc, mas já matou centenas, talvez milhares de meninas que ainda nos dias de hoje sofrem uma tortura indescritível e bárbara – a mutilação genital.

“As histórias são parecidas: sem aviso, as meninas são levadas pelas mães a um local ermo, onde encontram uma espécie de parteira que as espera com uma navalha. Sem qualquer anestesia ou assepsia, a mulher abre as pernas das garotas - muitas vezes, crianças de menos de dez anos - e corta a região genital, num procedimento que varia da retirada do clitóris ao corte dos grandes lábios e à infibulação (fechamento parcial do orifício genital).

Com Waris Dirie não foi diferente. "Desmaiei muitas vezes. É impossível descrever a dor que se sente", disse em entrevista ao G1 a hoje modelo e ativista contra a mutilação genital feminina. Dirie nasceu num vilarejo da Somália e foi circuncidada aos cinco anos.

Após conseguir fugir de um casamento arranjado por seu pai aos 13 anos, ela foi parar em Londres, onde chamou a atenção de um fotógrafo. Dirie se tornou modelo internacional e uma ferrenha ativista contra a circuncisão feminina. (...)

“É uma vergonha que uma tortura bárbara, cruel e inútil continue a existir no século XXI”. (...)

Estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que entre 100 e 140 milhões de meninas e mulheres vivem hoje sob consequências da mutilação - a maioria na África. A organização tem uma campanha contra a prática, que considera prejudicial à saúde da mulher e uma violação dos direitos humanos.

A mutilação ocorre em várias partes do mundo, mas tem registro mais frequente no leste, no oeste e no nordeste da África e em comunidades de imigrantes nos EUA e Europa. Em sete países africanos - entre eles Somália, Etiópia e Mali - a prevalência da mutilação é em 85% das mulheres.

mapa_mutilacao

Um estudo da ONG Humans Rights Watch de junho deste mostra que, no Curdistão iraquiano, 40,7% das meninas e mulheres de 11 a 24 anos passaram por mutilação.” (http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/07/e-impossivel-descrever-dor-diz-modelo-sobre-circuncisao-feminina.html )

A vida dessa mulher, Waris Dirie, vale a pena ser conhecida pelo exemplo de superação e conscientização que ela demonstra. Ela alcançou reconhecimento mundial após ter sido a primeira modelo africana contratada com exclusividade pela Revlon. É autora de quatro livros. O primeiro, sua autobiografia, Flor do Deserto foi transformado em filme.

Agora pergunto: o que faz o nosso órgão máximo de direitos humanos, a ONU? Uma campanhazinha aqui, outra ali? Quando é para invadir países por questões econômicas, eles sabem tomar grandes medidas, mas para salvar inocentes menininhas se fazem de surdos e cegos.

Não sei qual foi a besta ou bestas que primeiro demonizaram a mulher e, no seu medo, disseram que ela era um ser inferior. Eu até aceito que nos tempos antigos isso fosse aceitável já que a ignorância era a lei, mas hoje? Século 21? A mulher, na África e países islâmicos, está numa situação lamentável, haja vista o recente acontecimento com a garota paquistanesa Malala Yousufzai, baleada pelo talibã.

Ano passado, a ONU, após 15 anos, aprovou uma resolução para banir a mutilação genital, mas isso não é o suficiente, a ONU precisa tomar medidas mais efetivas junto aos países que praticam essa barbaridade.

“A resolução exorta 193 Estados-membros da ONU a condenar a prática e lançar campanhas educativas para eliminá-lo. Insta todos os países a decretar e fazer cumprir a legislação para proibir a mutilação genital feminina, para proteger as mulheres e meninas "desta forma de violência" e para acabar com a impunidade para os infratores. Embora não vinculativas, resoluções da assembleia geral da ONU carregam considerável peso moral e político.” (http://worldnews.nbcnews.com/_news/2012/12/20/16048831-un-calls-for-ban-on-grotesque-practice-of-female-genital-mutilation?lite )

Waris Dirie criou uma fundação à qual deu o nome de seu primeiro livro. Conheça-a:

O que é a Desert Flower Foundation?

Há mais de 12 anos, Waris Dirie tem lutado contra a mutilação genital feminina (MGF) em todo o mundo. Pelo menos 150 milhões de mulheres e meninas são afetadas por esta prática cruel, que continua a ser realizada na África, mas também na Ásia, Europa, América e Austrália. A Fundação Flor do Deserto pretende acabar com este crime procurando sensibilizar a opinião pública, criação de redes, organização de eventos e programas educacionais. A Fundação também apóia vítimas de mutilação genital feminina.” (http://www.desertflowerfoundation.org/en/)

Encontre-a também no Facebook e ajude a divulgar seu trabalho se você for uma pessoa consciente. https://www.facebook.com/DesertFlowerFoundation

Imagem: facebook.com

Este blog foi criado para você, leitor. E só saberei se você está satisfeito se comentar os posts, ou então, pergunte, questione e sugira temas ou modificações.

14 comentários:

Vapera disse...

Cara Expansão da consciência,
Indubitavelmente mutilação genital é brutal!!
Entretanto a mais brutal mutilação genital ninguém fala e ainda é entendida como normalidade, vamos a ela:
Sexo é reprodução, prazer é uma abstração personalista que descaracteriza o objetivo real do sexo, a reprodução.
Entendendo isso, fica claro que o desvio de função do sexo é que condenou a mulher a essas barbaridades!!
veja que se mulheres se recusassem a reproduzir dos falocratas mutilantes, essa turma já teria desaparecido, logo a melhor maneira de mulher ser respeitada é fechando as pernas!!
Parando de reproduzir lixos de lixos, as mulheres conseguiram mudar o jogo, fazer só homem de verdade nascer, ao invés de permitir de permitir o nascimento de tomadores de viagra, de perfumados eonistas, e de hedonistas pederastas, permitam a reprodução e DESFRUTE SEXUAL SÓ aos mais fortes, aos mais aptos aos machos que vcs sentem com o corpo todo e não apenas com o bolsa (a da roupa apenas. :-D)e as antenas da moda.
Vocês são as depositárias do destino da humanidade, tenham ciência de que vossa posição (donas do destino) permite pouco gozo e muita responsabilidade!!
Abç.

Atena disse...

Vapera:
Sua maneira de pensar é sui generis, mas para concordar plenamente com você preciso refletir a respeito do que disse.
De início já concordo com sua colocação de que a mulher é dona do seu destino e cabe a ela ser BEM mais criteriosa com relação a quem permite o uso ou fruição de seu corpo.
Discordo, em princípio, do uso distorcido do sexo ser a causa do domínio sobre a mulher. No meu entender, baseado em leituras e pesquisas, vejo as primitivas religiões como causadoras disso. Contudo este é o tipo de assunto que só tendo “bola de cristal” ou viajar no tempo para poder afirmar alguma coisa, não é? rsrs
Agradeço a visita e seja sempre bem vindo.
abraços

Vapera disse...

Cara Atena,
A maior minorizadora e anatematizadora da mulher é a lógica judaicocristã!!
veja que o outro dia um personagem disse que precisava de uma mulher para poder gestar um neanderthal, assim como deus precisou fazer o mesmo para fazer seu "filho", o tal cristo! E o pior, foi Maria quem fez cristo, mas a santissima trindade só tem valete!!! Em nome do pai (cade a Mâe?), em nome do filho (cade a Filha?) e do espirito santo (cade a verdadeira santidade, eu disse a verdadeira e não aberrações paternas como padres e papas)!!!
Como vemos, desde a origem a proposta mosaica e sua filhota cristã são de destruição da feminilidade, tanto é que a mulher é a pecadora, é a imunda, é a que vai pagar eternamente com a dor do parto, e por aí, vai!!!
Como vemos, o tal deus é misógino, mas mesmo assim convenceu 70% da humanidade a venerá-lo, um troço misógino, sádico (O holocausto é a maneira de agradar ao senhor, com o cheiro e aspecto de carne queimada!) e pederasta!!! Tanto é que a agenda pederasta, uma agenda coprolagna é a "norma" desde tempos sodomitas!!!
Cara Atena, ouso dizer que toda a desgraça perpetrada contra a mulher, mais especificamente contra a feminilidade, é toda ela graças a deus!!!
Que a Deusa nos livre!!! :-D

Gabriel Correia disse...

Atena,
Valores, crenças e culturas não se discutem. Correto?
Valores, crenças e culturas se prestam a edificação do Homem em sociedade. Correto?
O oposto de Homem é o covarde, inimigo maior da sociedade. Correto?
Portanto valores, crenças e culturas impostos pela covardia se denunciam como?
Mentiras!
E isso é uma tremenda de uma covardia!
Um abraço.

Atena disse...

Vapera:
Pelo visto você aceita como sendo Deus aquela criatura misógina, sim, facínora e totalmente antropomorfizada dos textos do Antigo Testamento. Eu absolutamente não aceito aquele ser como sendo o Criador de tudo que existe, ou a Fonte, como chamo.
A Fonte é predominantemente feminina, pois é a energia feminina que é a geradora da vida – a Deusa (que por ser completa também contém em si a energia masculina). Como diriam os chineses, Yin e Yang.
Costumo brincar dizendo que o tal Jeová nada mais é do que um ET que andava na Terra por aquela época (quem pode dizer o contrário?) rsrs.
Não se revolte contra o Criador, ele não tem a nada a ver com as religiões que, estas sim, estragaram e distorceram tudo e vem fazendo mal à humanidade desde priscas eras.
abraços

Atena disse...

Gabriel:
Satisfação em encontrá-lo por aqui.
Sim, há muitas crenças e culturas que demonstram extrema covardia. Estamos aqui para denunciar e ajudar com o esclarecimento, assim como você.
Grande abraço

Luciana disse...

É um absurdo mesmo!! a tecnologia está tão adiantada.. mas certos comportamentos.. Nessas horas eu dou graças a Deus de ter nascido no Brasil. O Brasil tem seus problemas.. mas felizmente não esse.

Alias não gostaria de nascer em nenhum pais em que a mulher é tratada como inferior..

Atena disse...

Pois é, Luciana, temos de agradecer não existirem esses costumes bárbaros por aqui.
Infelizmente a consciência não evoluiu em acordo com a evolução tecnológica.
beijos e obrigada pela visita

Beth Muniz disse...

Oi Atena,
Estas coisas me causam grande revolta. Respiro fundo para não perder o prumo...
Desculpem-me os que têm religião e professam qualquer tipo de fé, e em nome disto se arvoram do direito de mutilar e ferir a mais importante condição inerente aos animais: A condição humana.
Cultura não se debate? Do ponto de vista da criação e produção artística penso que não. Se Aceita, por mais que não se goste. Mas, quando qualquer cultura permite a violação, degradação e anulação do ser humano, sacando de alguém o direito de ser feliz, fisicamente, emocionalmente afetivamente, sexualmente e espiritualmente, deixa de ser cultura para transforma-se em ato criminoso.
Quando então, a essas questões mistura-se um punhado de fanatismo religioso, alimentado pelo machismo e a ideologia de que ao homem cabe o papel do dominador - esteja à mulher de pernas abertas ou não -, e à mulher, o de dominada e servil. É a degradação geral no que se refere a conceitos, valores e princípios.
Sade Do, talvez a mais importante cantora nigeriana, fugiu da Nigéria para não ter que se submeter a ato covarde, e hoje é considerada inimiga número um dos senhores e donos daquele país africano.
Infelizmente na visão de muitas pessoas e mandatários, a África, nossa origem primeira, deixou de ser um reservatório de riquezas naturais a serem exploradas, para tornar-se um continente de seres humanos dispensáveis à evolução da raça humana.
Eu não discuto fé. Religião sim. Porque uma religião que permite em nome de Alá, ou seja, lá quem for, não merece o meu respeito. E a combaterei sempre que me for possível.
Já fui ao blogue e site da Waris. Acompanharei...
Obrigada pela partilha.
Beijo.

Atena disse...

Cara amiga Beth:
Concordo plenamente com suas palavras. Uma cultura que permita atos bárbaros contra seu povo não merece nossa aprovação nem respeito. Sempre fui apaixonada pelo continente africano e lia bastante a respeito, mas parei de fazê-lo exatamente para não me revoltar com o que acontece por lá: corrupção, lutas tribais, genocídios, exploração do povo pelas multinacionais, mutilação genital e por aí vai. Aff!
Gostaria tanto de ver a África evoluir e se livar dos brancos (e agora amarelos também)...
Sei que posso contar com você para divulgar o assunto que, embora indigesto, precisa ser divulgado.
beijos

Blogueiros do Brasil disse...

Orgulhosamente PUBLIQUEI uma 'chamada' para este ótimo artigo no site agregador de conteúdo dos Blogueiros do Brasil (( http://omelhordos.blogueirosdobrasil.com/ )).


IMPORTANTE : As visitas aparecerão no
Google Analytics e em outras ferramentas
similares como originadas na URL
http://ads.tt/ .

Abraços cordiais.

Atena disse...

Obrigada, Tiozão.
abraços

Vapera disse...

Percebo que muitas mulheres acreditam que o mundo inteiro não é injusto com a mulher!
Que o brasil não é injusto com mulheres...
Se a mulher e tratada respeitosamente,por que existe sapato alto?? Sapato alto garante a mulher sem base, sem capacidade de fuga e combate (em uma catástrofe a maioria que morre é mulher e via de regra pisoteada, pois acaba caindo por falta de base na fuga), mas absolutamente "cadelificada" com o "derriere" em posição de abate, e por trás tal e qual animais "irracionais".
Anticoncepcional só é vantajoso ao homem, que fica assim livre de ter qualidade para ter mulher, pois anticoncepcional retira critérios de seleção da escolha feminina e assim qualquer lixo pode ser um parceiro de uma "noite de prazer"! O resultado? Lixos nascendo de sexo medíocre!!!
Qual a lógica da mulher acreditar que sexo é liberdade para ela?
Ela SÓ goza se o parceiro quiser, pois macho goza só de entrar se ele quizer, mas mulher depende de uma inteiração não mecânica,ela depende do beneplácito do macho para gozar e ainda acha que sexo é liberdade?!
A quem interessa essa lógica perversa de mulher "liberadinha", "pegadora", liberal?
Só ao macho lixo que sabe que assim tem acesso as mulheres o que nunca poderia acontecer, pois sexo deveria ser prêmio apenas para o melhor, tal e qual na natureza, onde fêmeas escolhem o macho pela potencia e não por que está "carente". No mundo animal a fêmea é a garantidora e mantenedora da qualidade da espécie, no mundo humano a mulher é a perpetuadora do nascimento de lixos.
E da-lhe metrossexual e viagra!!
E tem quem chame isso de evolução...

Atena disse...

Vapera:
Toda civilização, assim como hábitos e culturas humanas seguem a Curva de Gauss. Há uma subida, equilíbrio e após, a descida. A liberação feminina na área sexual ainda está na fase da subida, não alcançõu o equilíbrio. Foram muitos séculos em que a mulher (a maioria) era privada da satisfação sexual. Atualmente estão na fase do deslumbramento e, porque não dizer,desregramento. Acabará por atingir o equilíbrio, é apenas questão de tempo.