"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

A vida é simples, o ser humano é que a complica

vida simples

“A simplicidade é o último degrau da sabedoria!”

Esta é a frase que escolhi para este mês no blog. Por quê? O que me motivou? Sempre há uma motivação adjacente a cada ato nosso...

O que me motivou foi um antigo desejo (surgido na época da Faculdade) de resgatar a simplicidade.

O ambiente acadêmico foi decisivo na conclusão de meu status cognitivo. Explicando melhor: sempre tive a tendência natural de simplificar as coisas e na Faculdade recebi uma superdose de “como complicar as coisas e lhes outorgar grau de importância”. Aff!!

Na adolescência, quando comecei a ler os clássicos da literatura e alguns textos filosóficos chamou-me a atenção a quantidade de palavras despendidas em explicar coisas altamente subjetivas, portanto, no meu modo de ver, perda de tempo. Sim, porque se são visões ou conceitos subjetivos, cada um vai ter o seu.

Claro que eu, ignorantemente, posso ter uma ótica sobre determinado assunto carente de consistência e lendo ou ouvindo alguém com mais conhecimento aprimorar ou até mudar minha opinião. Afinal é para isso que serve o estudo.

Refiro-me, no entanto, a conceitos subjetivos ou questões para as quais não temos resposta. Por exemplo; definir ou conceituar o amor ou o sentido da vida.

É a maior perda de tempo falar ou escrever sobre isso! É aí que vale o “cada cabeça, uma sentença”.

Quero alertar também para os riscos de encher os miolos com palavras e conceitos de grandes pensadores. Não quero aqui anular sua importância. Eles contribuíram com o grau de desenvolvimento que atingimos, contudo também levaram muita gente à loucura ou ao suicídio, final meio que compulsório de quem pensa demais em assuntos que não tem solução.

Para onde vão as moscas no inverno? Pode ser que os zoólogos saibam, mas o resto da população mundial não sabe, então pra que se encucar com isso? rsrs

Lembro quando li um livro de Humberto Eco e fiquei muito p. da vida. Era uma edição brasileira, no entanto havia “n” parágrafos escritos em Latim. Pombas, Latim é uma língua morta! Afinal um romance é escrito para o grande público ou para uma pequena elite de eruditos?

Num certo trecho da história humana abdicamos do sentir em favor do pensar. Aí começou a complicação.

Vejam bem, quando sentimos, e sensação é um estímulo que vem através dos cinco sentidos, só existem três possibilidades: 1) prazer; 2) desprazer e 3) indiferença ou neutralidade. Simples assim.

Então falar ou escrever de forma difícil ou como “eles” diriam de forma vernacular não é sinal de sabedoria e sim de esnobismo e vaidades do tipo acadêmico.

Neste ponto da leitura alguém deve estar pensando: “ essa criatura é louca. Seu blog é sobre expandir a consciência e aqui fala para não pensar ...?

Nã na ni na não.

Expandir a consciência é fruto de: conhecimento e percepção e não de queimar a mufa!!

Os grandes filósofos e pensadores complicaram demais. Descobriram “chifres em cabeça de vaca”. rsrs Muitas pessoas, também, acreditam que ser “importante” é o que interessa e para isso usam e abusam não só de palavras difíceis, mas de demonstrações (sempre com plateia) de conhecimento sobre assuntos “relevantes” e complicados. Pobreza de espírito!!!

Outra forma de complicar a vida é o consumo de produtos não necessários.

Salvo por necessidade profissional, por que uma pessoa precisa ter dois ou quatro celulares ou um smartphone, um tablet e um notebook ao mesmo tempo?

Por que ter quatrocentos pares de sapato?

Por que um aparelho de TV em cada cômodo da casa?

São maneiras de complicar a vida, pois no caso das tranqueiras acumuladas dentro de casa, surge a necessidade de mais móveis para contê-las e mais espaço disponível.

No caso das parafernálias eletrônicas, vem junto com elas a ocupação do tempo do indivíduo.

Atualmente as pessoas reclamam tanto de falta de tempo e da correria em que vivem. A solução é refletir sobre como está levando a vida, se não a está complicando em vez de simplificar.

A vida é simples, o ser humano é que a complica.

Imagem: galeriaaberta.com

Este blog foi criado para você, leitor. E só saberei se você está satisfeito se comentar os posts, ou então, pergunte, questione e sugira temas ou modificações.

33 comentários:

Cidadão Araçatuba disse...

"...de queimar a mufa!!"
Adorei!! Dei muitas risadas...
Nunca tinha ouvido falar disso! Fala sério, quando você escreveu isso você está "meio nervosa" com alguém, não!? Rs..
Muito bom adorei, parabéns!

Agora um esclarecimento:
-Chifre na cabeça de vaca tem sim, viu!
Grande Abraço!

-*Vera Luz*- disse...

Olá Atena!

A simplicidade é uma arte desenvolvida a quem quer aproveitar mais a vida de forma saudável, o que nos leva a ser o que gostamos e o que nos traz satisfação né! Assim fica mais fácil perceber tudo o que é supérfluo, tirando nossa atenção do que realmente precisamos que é conhecer a vida e sentir sua essência pulsando em nós e a cada momento, e não sair tapando os buracos na aquisição dos valores externos que não farão diferença nenhuma uma vez que só ficou sufocado pela aparência vã na sua inversão. A simplicidade é uma virtude da Alma!

Um abraço,
"Todo o Conhecimento é Luz que Inspira a Alma" -*Vera Luz*-

Atena disse...

Cidadão:
Quando escrevi não estava nervosa com alguém, mas confesso que enquanto escrevia lembrava de algumas "figuras" que conheci ou conheço ainda.
Agora, quando morei em Brasília volta e meia ficava tiririca com os metidos que encontrava lá (no Congresso ou nos coquetéis). Todos se achando muito importantes. Por dentro eu me ria deles. ha ha
Que raça de vaca é essa com chifre? Sou filha de tropeiro e muita exposição de gado já visitei e nunca vi uma. Você não tá confundindo com boi? rsrs
abração

Atena disse...

Vera querida:
Eu até gosto de alguns supérfluos, mas jamais viverei por ou para eles.
Gostei de sua frase: "A simplicidade é uma virtude da Alma!".É isso!
beijos

amorepazsemfronteiras disse...

Minha querida Atena (olha o apego, 'minha' rsrsr_

hahahaha, aiiii não sei ri mais de alguns termos no teu ótimo artigo, ou do comentário rsrs

Essa de vaca com chifre foi demais ahaha

Mas enfim, em resumo é verdade: o ser humano complica demais. E complicar sempre tb está relacionado ao apegar-se. Quanto mais complicado, mais apego também. Seja ou não, a algo ligado ao material. Aliás não necessariamente, já que existem apegos de todos os tipos: às pessoas, idéias, situações, sentimentos, pensamentos, crenças, etc.

E viver com simplicidade, é 'a ordem do dia';), ou 'a bola da vez'.

E assino embaixo do que você disse: podemos até usufruir de algum supérfluo sim, mas jamais sem nos tornarmos escravas deles, como ainda é a maioria.

ps: olha, em teu último comentário lá, eu concordei com algo e editei o artigo e coloquei um trecho, pensando principalmente em quem está começando agora o seu processo de despertar, e pode ler e ver a apresentação. Gracias pelo comentário viu rsrs.

Beijos em seu coração direto do meu querida Atena!

Lucy

futurodanovaterra.blogspot.com disse...

Conheci o teu blog pelo blog Atalhos para o caminho, gostei muito dos textos postados aqui.... parabens e continue escrevendo com esse jeito interessante de se expressar....JO

Vera Alvarenga ... disse...

Atena, como gostei deste seu texto! e ri gostoso com sua resposta aqui ao nosso amigo de Araçatuba( morei ali pertinho..em Birigui..rs..)
Voltando ao supérfluo e, portanto, à simplicidade...como você tem razão!! Há fases, na vida, que a gente quer compreender tanto, que acaba complicando.Pior quando a gente se distrai e fica repetindo as coisas que leu, como se fossem receitas para resolverem todos os problemas, colocando-os em garrafinhas e classificando-os com rótulos... a gente faz isto, às vezes,para facilitar,mas pode exagerar sem se dar conta. É preciso mesmo se policiar... ou então,começar a ficar esquecida como eu!Aí tudo se resolve. Faz um tempão já, que não consigo repetir as coisas maravilhosas que li, e me pareceram na época, lições que mereciam ser, para sempre, gravadas.No início, fiquei triste com minha falta de memória! Depois percebi que, ela não atrapalhava nadica, quando eu precisava criar algo na prática, pra resolver um problema. Então hoje, ao invés de ficar triste por pensar em tudo o que de bom já li, e esqueci..
simplifiquei - penso em quanto ainda posso me deslumbrar com o que ainda vou ler ou ver!
Agora, o que fica em mim, são boas sensações..e, às vezes nem faço questão de memorizar o que motivou as tais boas sensações...simplifico - se elas existem, é o que me basta. Chiii... acho que estou simplificando demais...kkk.....
Beijos, Vera.

Thai disse...

Olá Atena. Primeiramente, adoro seu vulgo Atena. Sou fascinada por Atena e acredito (com certo orgulho) que seja a deusa que possuo maior semelhança.
Em segundo lugar, adorei seu blog. Parabéns! Li apenas três posts até agora, mas foi o suficiente para admirar seu jeito de escrever.
Em terceiro lugar, (sim sim, deixei para comentar tudo de uma vez) é realmente engraçado como temos certa mania de complicar as coisas. Costumo tentar me lembrar de uma frase "Os problemas tem as dimensões que você der a eles" e concordo com ela, o mundo só desaba na sua cabeça se você ver isso e interpretar o problema em questão como fim do mundo, mas se você minimiza-lo ou fatia-lo e observa-lo em partes perceberá o quanto és simples e voltará logo a sorrir.
Eu realmente adorei seu post. Parabéns e bom dia.

Maria Laura Neves disse...

Querida irmã,

Maravilhoso texto que simplesmente expressa Verdade.

Gratidão pela poderosa bênção e carinhoso comentário.

Uma semana cheia de Luz.
Até sempre.
Beijinho de Luz.
NAMASTÉ.

Áurea

Cidadão disse...

Sobre a vaca:
-Trabalho para um pecuarista na cidade, e quando precisa (resciões, admissões, etc...) vou nas fazendas (até no canal do cidadão tem uns vídeos que eu fiz na fazenda, mas eu não apareço, pois filmava rs...)
Vacas tem chifre sim, na raça nelore é mais difícil,mas ainda sim na fazenda algumas têm, a peonada chama de "guampa" (informação inútil, pois com certeza você sabia!)

Vaca nelore com chifre “banana” dá uma olhadinha:
http://www.google.com.br/images?hl=pt-br&rlz=1T4GGLL_pt-BRBR315BR316&q=vaca%20com%20chifre&um=1&ie=UTF-8&source=og&sa=N&tab=wi

Eu sou seletivo,costumo dizer que fica perto de mim quem eu quero, pois como já apanhei muito, tenho sérias ressalvas quanto se trata de novas amizades.
Mas falo a verdade quando digo que estou feliz nesse ambiente, onde tenho conhecido pessoas que valem a pena participar (mesmo que virtualmente, e pouquinho) do convívio delas, você faz parte desse rol que já passou pelo "crivo" inicial, considero você pelo seu ponto de vista, vejo que você se esforça para passar uma imagem íntegra,direta, sem bajulações e “nhém-nhém-nhems” e me atrevo a dizer que pelo que li até agora já te conheço um pouquinho!
Mas como acredito que a gente sempre está aprendendo!
Grande abraço!
PS Não vale tirar o sarro depois que ver os vídeos

Fabiane disse...

Atena, algumas pessoas tem como lema: pra que simplificar se podemos complicar. Como você disse, as complicações ocupam mais tempo e mantem a "mente" ocupada, não dando espaço para olhar dentro de si mesmo.

Luciana disse...

Concordo Plenamente!!!

Complicamos tudo...

Uma das maiores compliceções minhas foi ficar pensando se faria ou não o blog , se as pessoas iam gostar ou não.


Ficar imaginando o pensamento das pessoas complica tudo. Aí um dia resolvi fazer e pronto.kkkk

Na verdade eu fiz porque fiquei com raiva. Havia brigado com uma amiga e eu fiquei com tatnta raiva que pensei: Quer saber dane-se se não gostarem!!!!

Parece que a raiva pode trazer bons frutos também. Que ela não precisa ser destrutiva.

Fernanda disse...

Suas matérias no blog são bem interessantes, e acho que seria bacana também você divulgá-las no www.plik.com.br, porque lá, basta colocar um título, adicionar uma pequena frase ou texto sobre o assunto, e logo após o texto, o link do artigo completo (como complemento, pode informar tags abaixo).

Assim que postar, este resumo com link para seu artigo já fica na página inicial do Plik, e o Google indexa o Plik várias horas do dia, todos os dias, ou seja, você vai ter mais "votos" (links de outros sites) apontando para seu site, e isso com o passar das semanas, vai ajudar no crescimento do seu blog!

Se quiser, pode acessar agora: www.plik.com.br, e para usar o site, pode criar sua conta grátis ou se logar via Twitter ou Facebook, ou seja, muito prático e fácil participar.

Espero que goste da dica.

Abraço!

Fernanda

Atena disse...

Lucy anjo:
Não é bom demais a gente rir?
Dei uma gargalhada quando li o que futurodanovaterra disse: “continue escrevendo com esse jeito interessante de se expressar.”
É que às vezes, enquanto escrevo, fico pensando o que as pessoas vão pensar do meu jeitão escrachado de escrever. Não que eu me incomode com isso, mas acho divertido imaginar a reação das pessoas. A JO foi muito gentil com suas palavras e fiquei imaginando o que ela quis dizer com “jeito interessante”. rsrsrs
Falando sério; interessante essa ligação que você fez com o apego. Vou pensar no assunto.
Li sua resposta, sim e considerei muito íntegra sua atitude.
Estive pensando sobre o assunto e acho que o conteúdo daquele livro é simbólico sim.
Beijos mil

Atena disse...

JO:
Obrigada pelo comentário e visita.
Vou conhecer seu blog também.
abraços

Atena disse...

Vera:
E eu gosto demais de ler seus comentários!!!
Nada como a maturidade para ensinar a viver (com qualidade), não?
Você tocou num ponto muito humano e muito limitador que adoramos fazer: encaixar e rotular. Os mestres nos repetem constantemente para cuidarmos dessa mania.
Ri muito quando você falou em ficar esquecida e como isso resolve. Eu já nasci sem memória e quando mais jovem isso me incomodava muito, mas agora tendo a rir dos meus esquecimentos. Imagine uma professora dando aula e falta uma palavra. Pensa, pensa e a palavra não vem em português, mas vem em inglês. A profe cara de pau olha para os alunos e pergunta se algum aluno sabe a tradução de ... . e explica que a palavra em português não veio porque sua memória é uma caca. Sempre há alguém que sabe, então ela agradece e continua a aula. Depois que pararam as risadas.
É isso aí, há que saber tirar proveito até das limitações da gente.
Obrigada pela ótima participação e beijos

Atena disse...

Thai;
Que prazer ver gente nova por aqui e também trazendo contribuição.
Essa frase que você colocou eu já tinha ouvido, mas não lembrava dela. Obrigada por relembrá-la, pois é muito verdadeira.
Você conhece os textos sobre as deusas gregas? Se não, é só me pedir porque eu os tenho no computador.
Abraços e volte sempre

Atena disse...

Áurea:
Muito me honra com sua presença.
Obrigada sempre.
Beijos e saúde!!

Atena disse...

Cidadão:
Tô de mal com você. Agora não vou poder usar mais a minha frase predileta!?. Precisava me fazer cair na real? rsrsr
Muito obrigada por sua apreciação. É bom a gente saber que passa esta imagem que você colocou.
Depois vou ver os vídeos.
Grande abraço

Atena disse...

Fabiane;

Satisfação em encontrá-la por aqui.
Isso que você disse sobre o lema é uma das coisas que me tira do sério. Eu - procuro fazer ao contrário.
Obrigada pelo comentário e volte sempre.
abraços

Atena disse...

Luciana:
Uma das piores coisas que a gente pode fazer é se deixar guiar pelo que os outros pensam. Ainda bem que caiu fora dessa.
Sim, a raiva também pode ser construtiva. Certa vez uma aluna me contou que parou de fumar porque ficou com raiva do marido que tinha lhe dito que ela não era capaz de parar de fumar.
Tá vendo?
beijos mil

Atena disse...

Fernanda:
Obrigada pela apreciação e pela dica.
Entrei no site ontem e me cadastrei, mas até agora não recebi o e-mail de confirmação com a senha.
O site é seu? Veja se não está com algum tilti.
abraços

Cidadão disse...

A Lucy passou para conhece o blog do cidadão só por causa da história da vaca acredita! RS...
Grande Abraço!

Vera Alvarenga ... disse...

Atena, voltei!
Ri com sua história da aula...imagino o que é!
Adivinhe o que trouxe lá do blog do Cidadão? é eu fui lá..não ,não foi a vaca que eu trouxe,mas uma frase maravilhosa que encontrei lá, e é um presente para nós duas..rs....:
FRASES PARA SE PENSAR- FRIEDRICH NIETZSCHE.
" A vantagem de ter péssima memória é divertir-se muitas vezes com as mesmas coisas boas como se fosse a primeira vez".

Pronto,dizer mais o que?
Abraço e boa noite.Adorei tomar mais um cafezinho aqui!
Vera.

sabrina disse...

muito bom!
como já diziam...
quem sabe não fala, e quem não sabe fala...
bjs

Atena disse...

Sabrina:
Oláaa
Obrigada pela visita e participação.
abraços

♥ Lucy Sem Fronteiras ♥ disse...

Atena minha querida!!

ahahaha aii estou rindo até agora com a história das vacas hehehe

Aiii mas vamos combinar hein: rir é bom demais! Ahhh se as pessoas sorrissem mais em seu dia a dia, o mundo já seria bem melhor e muito mais diferente também;)

Mas passei mesmo, só para agradecer a acolhida de sempre minha querida, e agradecer por suas palavras também viu.
E sim, eu tinha mesmo de colocar aquela observação no texto, afinal, devemos ser responsáveis com aquilo que publicamos né rss.

Mas enfim, deixo um beijo carinhoso em seu coração, sempre direto do meu,
e um abraço fraterno a todos aqui,
certo Cdadão? rsrsr

E vamos lá aguardar a próxima pérola da Atena;)

Sabri disse...

Olá Atena!! Vi no seu perfil que és canceriana... como eu !!!
Adorei este post, é uma baita verdade, hoje eu penso desta forma , coisas que aprendemos com o passar dos anos... e acabamos vendo que não precisamos de tanto para sermos felizes.
Tem um provérbio que que diz:
"Quem é sábio, é simples!"

grande abraço e obrigada pela visita em meu blog!! Sucesso!

Cidadão disse...

Atena, segue anexo cheque no valor de 1 trilhão de risadas,boas vibrações e coisas boas para tornar os nossos dias mais felizes.
A "pérfida justiça" = a instituição, ou a real? Rs...
Não vai achar ruim porque eu dividi a sua comissão, vai? Rs...
Grande Abraço!

Atena disse...

Olá Sabrina:
Que bom que gostou. Realmente cada vez que faço uma mudança lembro de certas pessoas que vivem com tão pouco e chega a dar uma certa invejinha. rsrs
beijos

TEIA disse...

Oi Atena.
Concordo com você, complicamos muito a vida !!!
Post publicado na Teia.
Até mais.

Anônimo disse...

hi all, what do you think about South Park?

Atena disse...

Anônimo;
Excuse me, is related with the post?
I don't watch television series, I think they are boring..