"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Sintomas do despertar ... da Matrix

despertar

Existe uma necessidade que é inerente a todo ser humano, faz parte de nossa essência, sendo esta o verdadeiro ser – a totalidade do ser e não só a expressão física que caminha sobre o planeta: a necessidade de encontrar ou ter contato com o Criador.

Essa necessidade se manifesta de várias maneiras, variando de indivíduo para indivíduo. Em alguns se manifesta como uma tristeza indefinida, em outros como um sentimento de incompletude (a busca da alma gêmea) ou solidão ou, em outros ainda, como falta de propósito para o viver – uma frustração profunda.

O conhecimento de que somos todos oriundos da mesma Fonte, que somos seres divinos e grandiosos está contido dentro de nós, no nosso DNA e explica muito bem o desejo pelo poder demonstrado por muitos, a busca de alguns, mania para outros, pela perfeição Para alguns está tão escondido na “caixa preta” que conscientemente a pessoa diz não acreditar em Deus. Não existe nenhum problema aí, foi o que a pessoa escolheu experienciar nesta existência e não há julgamento por parte do Espírito (o Criador).

Aliás, o Espírito não julga e muito menos condena. As estórias da Bíblia sobre a ira divina ou são mau entendimento dos canalizadores da época ou, na minha opinião, poderia Jeová ser um E.T. com boas intenções mas com má execução dos seus propósitos. (as estórias da Bíblia ainda são um grande ponto de interrogação para mim).

Nós estamos atravessando um período da existência humana totalmente diferente de todos os anteriores, onde o nível de consciência está aumentando, onde há milhões de pessoas já despertas e outras em processo de despertar.

O que desencadeia o despertar? Aqueles que vão ler nosso trabalho conjunto são os que vão procurar, realmente, coisas como “o livro que cai da prateleira”. Agora, uma série de outras coisas fez com que Vince lhe desse o livro. Você estava pronta para ele, mas costumam dizer que é o livro que cai da prateleira; o filme que, de repente, faz alguém conceber a vida de um modo inteiramente diferente; um sonho muito ruim, aterrorizante, que faz alguém passar para um nível em que nunca esteve antes; um cônjuge, uma pessoa amada que morre; a primeira vez que alguém se defronta com a morte. A pessoa sabe que a morte existe, mas, na verdade, nunca se defrontou com ela. Pode ser algo como um acidente de carro; um acidente de carro que faça a pessoa passar por algum tipo de trauma, ou mesmo entrar num coma, mas que a arranque da zona de conforto.

Pode ser, simplesmente, o fato de acordar um dia e perceber que se está sozinho. Ou, repentinamente, pode se tomar consciência de sua curiosidade devastadora. Essas coisas vêm fermentando por existências e existências – e vocês, finalmente, se conectaram com elas.” (Adamus, canalizado por Geofrey Hoppe, Círculo Carmesim)

O que é despertar? Simplificando: é sair da hipnose coletiva em que sempre vivemos (ver A Matrix de todos nós).

Primeiro vem a consciência de que se está vivendo na Matrix, um sistema louco, desumano e antinatural e a seguir vem a busca da Divindade como um direito inato do ser humano.

Muitos pensam que para começar o caminho da espiritualidade (encontro da Divindade) é necessário fazer cursos e seminários, experimentar alterações de consciência, ler tudo que encontrar sobre extraterrestres, magia, fenômenos paranormais ou mistérios, etc. Nada disso. Para encontrar a divindade o primeiro passo é entrar para dentro de si mesmo. É se auto-analisar para aumentar o autoconhecimento. Só aumentando o autoconhecimento a pessoa conseguirá livrar-se das crenças limitantes e escapar da Matrix.

Quando o despertar para a Divindade interior começa, uma série de sintomas e/ou fenômenos ocorrem com os despertantes nessa primeira fase.

Nosso propósito aqui é divulgá-los para o esclarecimento porque são muitos os que pensam estar doentes fisicamente ou ficando loucos.

Vou listar alguns mais comuns, mas provavelmente existem outros que desconheço.

- Freqüentemente sono interrompido entre duas ou três horas da madrugada.

- Dores no corpo sem causa aparente, principalmente nos ombros e costas.

- Muito cansaço.

- Diarréias e/ou vômitos sem explicação pela medicina (os médicos não descobrem a causa).

- Sensação de flutuação ou como se faltasse o chão.

- Desorientação espacial e/ou temporal.

- Ouvir vozes (dentro da cabeça). Ver vultos, ter sonhos muito vívidos.

- Ver cenas, imagens na tela mental sem explicação aparente.

- Aumento de apetite, acompanhado ou não de ganho de peso.

- Tristeza e/ou choro sem saber a razão.

- Sentir-se desconfortável em ambientes com multidão (shoppings, por exemplo).

- Sentimentos de desagrado com o emprego ou ambiente de trabalho.

- Para alguns, distanciamento afetivo dos familiares.

Deu para perceber por que as pessoas acham que estão ficando loucas? Pois é, mas a coisa se passa assim mesmo. É desnorteante.

Vejam bem que nem todas as pessoas têm os mesmos sintomas ou algumas podem ter todos eles.

Os já despertos não têm explicações lógicas para alguns sintomas, ainda somos muito ignorantes sobre esses assuntos, só podemos adiantar que é somente uma fase e que aos poucos a gente vai se acostumando tanto com “coisas estranhas” acontecendo que de repente vira rotineiro.

Paralelamente a tudo isso começam a se suceder as sincronias e esta é a parte ótima, rsrs mas este assunto é para um outro post.

Imagem: encantandotempo.blogspot.com

Este blog foi criado para você, leitor. E só saberei se você está satisfeito se comentar os posts, ou então, pergunte, questione e sugira temas ou modificações.

23 comentários:

Luciana disse...

Olá Atena!!!

Como sempre muito bom o texto. E é verdade para despertar não é preciso ler nada sobre cristais, magia ou ETS. Acho que é algo que acontece com todos. Independente se costuma ou não se interessar por espiritualidade.

Aprova disso é o que aconteceu comigo. Eu sequer lia nada sobre espiritualidade. Nem passava pela minha cabeça essa coisa de ascenção , de despertar.

Foi algo que simplesmente aconteceu. de repente varias emoções reprimidas começaram a vir a tona sem eu nem entender o que estava acontecendo.

Comecei a ter sonhos, ou melhor, pesadelos sobre epocas traumaticas da minha vida que eu achava que tinha superado mas que eu havia apenas reprimido.

E tudo isso aconteceu sem eu saber nada sobre o despertar. Foi algo que eu fui descobrindo aos poucos. O que estava acontecendo na minha vida.

Enfim acho que o despertar acontece com todos independente de suas inclinações espirituais.

Anônimo disse...

Em 2002, "surtei" pela 1ª vez -coincidência ou não, foi o ano de maior atividade solar- fui descobrir só em 2007 o que havia acontecido comigo, quando "tropecei" num blog que descrevia os 51 sinais do despertar espiritual.Era tudo aquilo.Lembro-me de muitas coisas, as mais impressionantes eram: os sonhos extremamente reais, não conseguir ver tv (parecia tudo muito confuso na telinha), comer era dificil tb, meu corpo não aceitava minha alimentação habitual.Foi uma loucura msm...Demorei anos pra tentar entender e ainda existem lacunas a serem preenchidas.Lembro-me tb da sincronicidade das coisas, era incrivel, quando necessitava de alguma informação de uma maneira ou de outra ela vinha, queria falar com alguém e a pessoa aparecia ou ligava.Uau, foi incrivel viver esta experiencia.Saldo geral: me separei, mudei de estado RJ p/ MG e comecei uma nova vida, totalmente diferente em relação aos meus antigos conceitos. Temo pelas pessoas que passarão por esta experiancia sem saber do que se trata,como foi o meu caso, pois na maioria das vezes, serão tratadas como "loucas".

Tom disse...

Gostei do post!

Observo que cultivamos uma certa linha de raciocínio parecida, mas disconexas em alguns pontos.

De fato,na história humana todos obtiveram essa sensação de que há algo que tornou tudo possível... Sempre houve o sentimento de que existe algo que desenvolveu tudo que nos rodeia, embora, com o passar do tempo, a sociedade gerou uma indústria sobre esse sentimento e fez dele um negócio. O resultado óbvio é a falta de confiabilidade que surgiu nessa idéia.

A bíblia, em sua grande parte, foi escrita para os homens daquela época. Não adianta lê-la com olhos de pessoas de nosso tempo e acreditar que se você comer carne de porco vai torna-se pecador. Absrudo. Enfim, isso é papo para outro posto! ^^

Despertar do sono é notar que podemos melhorar. Credno ou não em algo superior é melhor nos darmos bem, não acham?!

Abraços

P.S: adorei o texto que vc mandou para mim e para a Thai!

Guiomar Barba disse...

Oi Atena,
Quando o despertar para a Divindade interior começa, uma série de sintomas e/ou fenômenos ocorrem com os despertantes nessa primeira fase...

Um terrível despertar...

No meu caso, eu sentia uma sede do que é eterno, uma saudade inexplicável, e Ele mesmo preparou o nosso reencontro, simples, aconchegante, cheio de esperança e paz. Ele me envolveu no seu amor, me encheu de gozo, tudo isto, me leva a buscar cada dia mais, intimidade com Ele.

Beijão amiga.

Atena disse...

Florzinha:
Sim, o despertar acontece para todos, mas como cada um está num degrau da evolução, despertarão em diferentes épocas ou vidas aqui no planetinha.
Nesta época atual a maior parte da humanidade ainda está muito involuída.
Você, por tudo que já percebi, já veio com meio caminho andado. rsrs
abraços

Atena disse...

Anônimo:
Muito obrigada por seu depoimento. É importante para aqueles que ainda não passaram por isso. Concordo que para quem está despreparado, é bem complicado.
Quanto às sincronias, eu as considero um barato, como facilitam a vida da gente. rsrs
Obrigada e volte sempre.
abraços

Atena disse...

Tom:
Que bom ter gostado das Jornadas. Eu achei esse material excelente.
Você tem razão quanto ao que fizeram com a crença do povo. É de dar pena.
Se lhe interessar, pode expor nossas desconexões e vamos analisá-las. Donde menos se espera, às vezes, aprendemos algo. rsrs
abraços

Atena disse...

Guiomar:
É, essa saudade é sofrida, mas depois que a gente começa a ter contato, ela vai desaparecendo, não é?
Obrigada por seu depoimento.
abraços

Apaixonados disse...

Poxa, acredito que ainda não despertei...

Já ouvi histórias sobre esse psot, porém, sempre fico com um pé atrás por nunca ter ocorrido nada parecido comigo. Confesso que após começar a namorar deixei um pouco meu bloqueio de lado e procurei entender mais sobre a espiritualidade, mas ainda sou um tanto ignorante nesse ponto. Um tanto por medo de me tornar alienada e outro tanto por medo de não gostar das respostas das minhas perguntas. De qualquer forma, ótimo texto. Você já escreveu sobre esse despertar?
Mudando de assunto, adorei sua visita no clave. Coloquei no cantinho as cores da canetas que eu e o Tomáz usamos, acrescente a cor de um amigo do Tomáz que irá utilizar o blog para postar textos de história.
Um grande abraço, flor, e até mais ver.
Thai

Fabiane disse...

Estou com quase todos os sintomas há algum tempo. E mesmo dormindo pouco e trabalhando o dia todo, me sinto tranquila e centrada. Uma observação Atena: clicando no "Atalhos para o Caminho" - continue lendo, o seu blog dá como retirado. Clicando no link do lado direito, entra normalmente. Alguns comentaram sobre problemas na rede da telefônica (SP). Pode ser a causa do sumiço de alguns blogs. Observei também que alguns blogs não estão carregando direito. De qualquer forma, muito já foi semeado, precisamos continuar o cultivo para colhermos a cada dia os frutos do despertar. Tenho salvado alguns textos seus, assim como salvei alguns do Higher. Bjin

Tom disse...

Olá Atena!

Um dos pontos de discordância é exatamente a idéia de haver sintomas para o despertar espiritual... acho que o fato de "despertar" não implica em efeitos materiais, mas em atitudes morais no indivíduo, sem afetar sua saúde. É como a pessoa passa a enxergar o mundo que a diferencia. Não penso que essa alteração de atitude cause algum sintoma físico, entende?

Quanto aos fatos na bíblia que mostram um Deus de ira e vingativo... por que colocar a culpa no Deus em si e não nos que escreveram a bíblia? Na época era necessário a idéia de um Deus vingativo para que o povo se mantivesse firme dentro da religião. O dirigente/ sacerdote dessas instituições observou a necessidade disso e dispos essa visão divina pouco comum hoje em dia. Foi mais uma necessidade do que propriamente a realidade. É por isso que vemos essas contrariedades na Bíblia. Deus nos deu consciência para questionar e não vejo motivo para não questionar os autores da Bíblia... A bíblia é um grande livro de ensinamentos, mas é necessário ficar atento para as contradições e utilizar o crivo do bom senso para separar o certo do errado...

Enfim,
Acho que é isso

Abraços

P.S: de fato, adorei o blog!

Atena disse...

Thai:

O despertar para a espiritualidade é diferente para cada um. Não sei as razões, mas imagino que deva ser de acordo com as crenças individuais e questões internas que precisam ser resolvidas. Há também as diferenças entre os que despertam para um Deus exterior e os que despertam para o Deus interior. Estes são os que mais apresentam sintomas, pois essa mudança vai mexer com o DNA.

Despertar para a Divindade leva sim algumas pessoas à alienação (conheço algumas), mas tudo depende da lucidez de cada um. Eu, por exemplo, penso que a expansão da consciência se estende a todas as áreas da vida humana, portanto vejo diariamente as notícias na mídia, claro que submetidas a um filtro, ainda navego na Internet para saber mais o que ocorre no mundo. Como sou muito cética não aceito gratuitamente o que recebo dos mestres, através das canalizações que acompanho, então eu procuro checar me informando o máximo possível sobre o que se passa no planeta.

Vou adorar posts sobre História, pois é o meu assunto favorito.
Abração

Atena disse...

Fabiane:

Que bom estar atravessando com tranquilidade por essa fase. Estar centrada é fundamental para não viajar na maionese. rsrs
Darei uma olhada para ver o que está acontecendo no blog Atalhos, mas parece que está tudo meio bagunçado. Coisas da web...
Abração

Atena disse...

Tom:

Como coloquei na resposta para a Thai, o despertar é diferente para cada um, mas aqueles que despertam para o Deus interno, passam por estes sintomas porque há uma mudança muito radical na pessoa, incluindo a mudança na parte interdimensional do DNA. Tais pessoas são confrontadas em suas crenças (isso causa resistências psicológicas tremendas) e o desconforto psicológico resultante ocasiona somatizações, bem como limpezas do corpo de energias tóxicas ou mal qualificadas.

Quanto à Bíblia, concordo com você que na época em que foi escrita o ser humano tinha muito pouca consciência, daí constar dela a lei do “chicote”. rsrs Atualmente, embora possua muito conteúdo ainda válido, há coisas que não se sustentam nos dias atuais.

Bom senso e lucidez são fundamentais ao avaliar-se tudo o que lemos ou ouvimos.

Abraços

Apaixonados disse...

rsrsrs

Adorei o termo "lei do chicote"!
Quando postei não tinha visto sua resposta para a Thai. Agradeço as explicações!

E realmente, gostei do blog! Serei um visitante frequente aqui!

Tom

Atena disse...

Tom:
Seus comentários são do tipo que acrescentam ao blog. Será sempre bem vindo aqui.
abraços

Luciana disse...

Com certeza o meu desperta é ao Deus interno.

Já que estou revendo minhas crenças e assumindo cada vez mais a responsabilidade para minha vida. Mas eu não vejo em mim muitas mudanças fisicas? Elas são mais no campo das crenças? Será que meu DNA não está mudando???

Luciana disse...

Ahh, e eu nunca me senti a vontade em multidões. Sempre odeiei Shopping. Isso no meu caso não pode ser sintoma do despertar. srsrs. Pois sinto isso desde pequena.kkkk

Eu ficava reclamando com minha mãe toda vez que ia ao Shopping, querendo ir para casa logo.kkkkk

Edson Moura disse...

Olá Atena. Interessante seu post, embora eu hoje faça parte daquilo que chamamos de "ceticismo burro" rsss, eu compreendo onde queira chagar com seu artigo.

Minha conce~pção de "despertar", faz justamente o caminho oposto ao seu, ou seja, depois de minha experiência espiritual, depois de uma fé no criador do homem, depois de passar anos acreditando em um lugar para se viver (existir) depois da morte, fui desperto para a realidade nua e crua.

Este despertar trouxe consigo uma angústia, desespero e desamparo no início, sensação de abandono e crises existenciais mil. Mas superei todos os encômodos causados pela libertação, esta sim definitiva.

Re-signifiquei a frase: "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará". Hoje sou livre! E esta liberdade me trouxe a responsabilidade, uma responsábilidade que jamais tiverra.

Adorei este fragmento:

"Nós estamos atravessando um período da existência humana totalmente diferente de todos os anteriores, onde o nível de consciência está aumentando, onde há milhões de pessoas já despertas e outras em processo de despertar."

Atena, sei que você lê e responde à todos os comentários, mas como eu leio e comento em muitos blogs, gostaria que você mandasse a resposta para meu e-mail, assim ficará mais fácil de eu responder. Isto serve para todos os meus comentários.

Abração.

Email: edsonmourad@hotmail.com

Atena disse...

Florzinha:
Como expliquei para Thai e o Tom, o despertar é diferente para cada um.
Algumas pessoas (as resistentes) passam por algumas mudanças mais drásticas para acordarem de verdade, senão ficam só no mental e não chegam aos sentimentos, que é o que realmente precisa ser ativado.
Eu que sou osso duro de roer, rsrs muito mental, precisei passar alguns maus bocados para mudar.
Outro detalhe: você não passou por experiências que mexem muito com a parte energética. Isso acelera as mudanças tanto físicas quanto emocionais. Acredito que o Pathwork vai propiciando uma mudança gradual e bem mais suave que outras técnicas. Feliz de você. rsrs
abração

Atena disse...

Edson:
Eu entendo perfeitamente a sua sensação de liberdade após ter passado pela doutrinação religiosa e se ter soltado dela. O Deus “ensinado” pelas religiões ocidentais é terrível, só serve para nos encher de culpas e baixar nossa auto-estima.

Quando se tem acesso a outro tipo de informação espiritual, onde não há dogmas, regras, normas e onde você pode e é estimulado a questionar e até duvidar, se quiser, as coisas são completamente diferentes. Você vai ouvindo as novas informações, analisando, questionando, checando e finalmente, após algum tempo começa a ver como são apropriadas e como muitas delas têm respaldo nos conhecimentos de antigos povos e antigas tradições espalhadas pelo planeta. Sem falar que muito do que os mestres dizem a Física Quântica confirma.

Não acho que o seu ceticismo seja do tipo burro porque senão você não leria minhas postagens. E por falar nisso, reitero meu convite para que leia http://expandiraconsciencia.blogspot.com/2011/02/vida-e-simples-o-ser-humano-e-que.html onde lembrei-me de você ao escrever.

Abraços e obrigada pela participação.

Unknown disse...

Meu nome é Henrique e eu tenho 27 anos. Sou engenheiro, sempre fui um homem das exatas “com pé no chão”, religiosamente neutro, quase um ateu. Encarava a religião como uma fraqueza, uma necessidade de se ancorar, embora recentemente eu tenha descoberto em uma das minhas meditações que religião é apenas uma das muitas armas políticas usadas para separar-nos e manter as pessoas em guerras. Neste ano começaram a acontecer mudanças enormes no meu padrão de certo e errado, moral ou imoral, material e espiritual. Até nossa inteligência comecei a questionar. Mas o que mais me chamou a atenção foi o medo que havia sumido completamente da minha vida, em todos os sentidos. Eu simplesmente não sentia mais medo de nada, comecei a questionar conceitos que para nós são fixos, por exemplo: “Por que sentimos dor? Isso poderia não acontecer, mas porque acontece? Trata-se apenas de uma pequena modificação física no corpo, porque temos tanta resistência a uma pequena mudança material?” E assim as ideias surgiam na minha cabeça como foguetes. Outra coisa impressionante que estava acontecendo era a sorte com tudo, de modo que eu percebi que não era uma sorte normal, estava acontecendo muito. Não entendia nada que estava acontecendo na minha cabeça, e nem o porque. Já fazia mais de 3 anos que eu não tinha televisão por ter perdido todo o interesse de assistir as coisas que lá são apresentadas, de modo que acredito que esse foi o início para que minha cabeça não fosse mais poluída com aquelas informações desnecessárias, e como eu moro sozinho, passei a refletir mais. Comentei com um irmão que tinha algo estranho comigo. De repente, tudo havia perdido a importância, eu me senti fortemente ligado com a natureza, os valores sociais haviam perdido totalmente o sentido , de modo que as vezes eu tinha a impressão que as pessoas estavam completamente cegas e passivas as vontades de um governo corrupto. Nunca meditei na minha vida, e parece que de um dia para o outro a meditação se tornou uma das minhas habilidades. Passei a meditar quando chegava do trabalho por horas, passei a meditar no horário de almoço, em seguida percebi que durante minhas atividades eu estava conectado de alguma forma com algo mais puro. Sempre fui carnívoro, carne era a parte que sempre havia em maior quantidade no meu prato todos os dias. Em uma noite neste mesmo mês de julho de 2012, eu meditei e o que chegou em minha mente foi a energia dos animais, me dei conta de que somos todos seres perante a luz. Depois disso, uma luz clareou minha mente e me fez enxergar que matar um ser de luz como um animal é, é muito egoísmo ainda mais levando em consideração que temos opções para não ter que fazer isso. A partir daí não consegui mais comer carne. Passei a ter um amor incondicional por tudo, por todos, de forma abrangente. Passei a amar o planeta como um ser divino que nos alimenta e nos serve como moradia. Passei a cantar e percebia que minha voz estava cada vez mais afinada. E percebi, o que foi a base de tudo, que eu fazia isso tudo para mim, para me fazer feliz. Havia uma emergência em fazer o bem para as pessoas, porque o pensamento de unidade tomou conta de mim por inteiro. Um dia eu estava dizendo coisas para uma formiga que estava andando em cima da minha mesa, a formiga era tão pequena que eu quase não enxergava, mas eu ficava prestando atenção nos movimentos dela, imaginando como seria a vida dela. Parecia que eu estava enlouquecendo. Depois de tudo isso, decidi pesquisar para saber o que estava acontecendo comigo, e cheguei ao assunto “Despertar espiritual”. Estou fortemente em busca do meu “Eu” superior depois que li algumas coisas e entendi o que estava acontecendo. Não conversei com ninguém sobre isso porque não dependo mais da aprovação de outra pessoa para acreditar nos meus pensamentos, mas gostaria muito de saber se isso está acontecendo com alguém também.
Na verdade, parece que eu estou ficando louco. De verdade.
Escrevam sua opinião, é importante pra mim.

Atena disse...

Unknown:
Isso que você descreve é o "seu" despertar. Para cada um é diferente e adequado à pessoa. Não é decidido pelo nosso consciente.
Talvez esse seu processo tenha sido tão "diferente" em função de suas características racionais. Se não fosse tão "chocante" você não teria prestado atenção.
Tudo bem com você não comer mais carne, ela não é necessária, mas procure não se isolar da sociedade. Muitos fazem isto e acabam "viajando na maionese" rsrs
O Buda dizia que o ideal é o caminho do meio, ou seja, o equilíbrio.
Aqui no blog você encontrará bastante informações sem caráter dogmático nem de verdade absoluta, seu coração dirá o que lhe serve e o que não.
Eu procuro na maioria das vezes levar os assuntos de forma brincalhona porque isso ajuda a manter a sanidade dentro desses assuntos tão complexos e difíceis ao nosso entendimento.
Para evitar a "loucura": não se fixar exclusivamente no lado espiritual, levar uma vida normal e participativa.
Parabenizo-o pelo seu despertar e desejo-lhe sucesso no caminho.
abraços
PS. Estou à disposição para qualquer dúvida ou questionamento.