"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

quinta-feira, 3 de março de 2011

Powaqqatsi – O que é isso?

powaqqatsi

Ontem me deu vontade de ouvir o canto do muezin e coloquei o que eu tenho: uma fita cassete (lembram o que é isso? rsrs) com toda a trilha sonora de um filme.

Powaqqatsi, um dos filmes que mais marcou a minha retina, pois as imagens são de mestre, mas também a minha consciência. Então me lembrei de partilhar com vocês.

Este filme é a segunda parte de uma trilogia dirigida por Godfrey Reggio.

O primeiro chama-se Koyaanisqatsi que significa vida fora de equilíbrio ou a vida se desintegrando e aborda os aspectos da indústria tecnológica do Hemisfério Norte. O segundo Powaqqatsi, significa vida em transformação e o terceiro Naqoyqatsi, que significa vida como uma guerra, aborda “o planeta como um todo, conectado, globalizado, mergulhado na tecnologia que encurta distâncias e acelera processos de destruição devido ao mau uso da tecnologia. (http://filmescomlegenda.net/fcl/filmes/trilogia-qatsi)

Como copiar é mais fácil do que criar, aqui vai um texto sobre o filme que está muito bom e encontrei neste site: http://redehumanizasus.net/node/7489

Calma, você não está lendo um palavrão. Powaqqatsi é uma palavra da língua Hopi (tribo indígena norteamericana) e quer dizer vida em transformação. O filme, em narrativa de documentário, faz parte de uma trilogia (em breve espero fazer comentários sobre os outros dois filmes), dirigido por Godfrey Reggio com trilha sonora maravilhosa de Phillip Glass.

O filme chama atenção pelas imagens fortes e contundentes, um caleidoscópio de cores, comportamentos, culturas, festas, sofrimento. O tema destacado é o trabalho humano levado aos seus limites, uma loucura onde desestabilizamos o mundo para sobrevivermos em condições ultrajantes.

Pontilhado de paradoxos, a narrativa de Powaqqatsi descreve, ao som da música de Glass, o duelo entre o homem e a natureza, onde a adaptação da natureza aos nossos desejos produz o desequilíbrio que nos ameaça. A tecnologia se amalgama à Terra e destroi toda diversidade pelo padrão das repetições, como se o planeta fosse lentamente transformado numa fábrica insana. Ao lutar pela sobrevivência, os homens são colocados no seu limite. As relações desiguais se configuram em exploração desenfreada.

A sequência inicial nos interessa de perto. Mostra Serra Pelada no auge do garimpo. Milhares de homens sujos de lama se embrenham terra adentro...olhares ambíguos...vazios de vida...cheios de esperança...corpos moldados pelo peso que carregam, e quem assiste às imagens se verga com eles. A música de Phillip Glass ressalta esse efeito num diapasão repetitivo, intenso, mas nunca monótono.” (Enviado por Erasmo Ruiz) -

O post é sobre o Powaqqatsi, mas recomendo assistir todos os três. São filmes para se ficar pensando sobre o que somos e para onde estamos indo no planeta Terra a continuar com o atual sistema de vida.

Não existe diálogos ou narrativa, as imagens reforçadas pela música falam por si próprias. A música tema é fantástica, poderosa!

A trilogia já existe em DVD e abaixo coloco um link de vídeo para terem uma palhinha. Se bem que esses filmes demandam uma tela de bom tamanho bem como um bom som para serem apreciados devidamente.

Vídeo Youtube
Enjoy it.

Imagem: zinequanon.com.br

Este blog foi criado para você, leitor. E só saberei se você está satisfeito se comentar os posts, ou então, pergunte, questione e sugira temas ou modificações.

17 comentários:

Vera Alvarenga ... disse...

Olá Atena!
Interessante esta trilogia. E sem diálogos? Me deixou curiosa. Pena não ter tempo por estes dias, mas recomendei para um de meus filhos e nora.
Beijos e bom feriado pra você!
Vera.

-*Vera Luz*- disse...

Olá Atena!

Os filmes sempre agregam muito uma vez que as informações faz com que nossa mente busque sempre as informações que necessitamos, mas, vou te contar, acho muito mais divertido quando você escreve, gosto do seu jeito divertido de transmitir as coisas, da próxima vez quero ler suas palavras para traduzir o que sua visão lhe mostrou rsrs!!

Um abraço,
"Todo o Conhecimento é Luz que Inspira a Alma" -*Vera Luz*-

TEIA disse...

Oi Atena.
Vou procurar saber mais sobre esse filme ,me parece muito bom.
Post publicado na Teia.

Apaixonados disse...

Poxa!

Gostei da idéia da trilogia. A utilização de termos indígenas para nomear os filmes é extremamente inteligente, na medida que considero os povos indígenas os mais próximos da inocência e muito bem relacionados com o planeta...

(passei um tempão tentando falar "powaqqatsi".kkkk. Até agora não sei se acertei a pronúncia).

Abraço

- Tom

Atena disse...

Vera:
A trilogia é antiga, mas os temas, infelizmente, ainda são atuais. A música é fantástica.
Obrigada pela participação.
beijos

Atena disse...

Vera Luz:
Estou em mudança de residência e com o tempo bem apertado, mas o próximo post será de minha autoria, rsrs
beijos

Atena disse...

Alfredo:
Obrigada apela visita e publicação.
grande abraço

Atena disse...

Tom:
São filmes antigos, mas ao mesmo empo atuais pela temática.
Quanto à pronúncia se me lembro bem, já faz tempo que os assisti, é pouacatsi.
beijos

Apaixonados disse...

Oi Atena, tudo bom?
Ao ler sobre esse filme pensei logo na minha mãe, ela irá adorar. Irei procurar ele em dvd, mas hoje em dia é complicado achar boas locadoras. Recomendarei o blog para minha mãe também, ela irá adorar seus textos, então, se uma senhora comentar com o nome de Leni, é ela.
Beijos e bom carnaval ora ti!

Thai

Luciana disse...

Legal, nunca tinha ouvido falar nesse filme antes. srsrsrs

Ahh Atena. Eu recebi um selo no meu blog de poesias e indiquei o seu. Apesar de vc já ter vários. Acho seu blog tão bom que não pude deixar de indica-lo

Yolanda Hollaender disse...

Olá Atena, tanto quanto o nome exótico no título do filme, o video é igualmente diferente.
Procurarei assistir a Trilogia porque me interesso por cinema, principalmente quando as imagens falam por si mesmas.
Aproveito para agradecer sua visita por ocasião da postagem do novo visual do meu blogue.
Meu afetuoso abraço,
Yolanda

Atena disse...

Olá Thai:
Ficarei muito contente com a vinda de sua mãe também para o meu cantinho.
Vou postar pouco por estes dias porque estou de mudança de residência e de estado. Volto para minha terrinha.
Bom feriadão para vocês.
beijos

Atena disse...

Florzinha:
É sempre uma honra receber selos dos amigos e leitores. Muito, muito agradecida. Irei lá buscá-lo.
beijos

Atena disse...

Yolanda:
É um prazer recebê-la por aqui.
Se você é cinéfila vai gostar desses filmes, pois são considerados obras primas.
Obrigada pela presença.
super abraço

Apaixonados disse...

Oi Atena, tudo bom?
Boa mudanã pra ti e que seja muito feliz no novo Estado. A título de curiosidade, irá para que região?

Então, eu e o Tom recebemos o primeiro selo do Clave de Lua nessa semana e resolvemos repasse-lo para ti afim de divulgar seu trabalho no blog. Entendo que possa querer não participar indicando blogs e tudo mais e saiba que respeitamos isso dando total liberdade para a escolha de participar ou não dessa "corrente", mas, tomamos a liberdade de indicar o seu blog, tudo bem?
Um beijo e um ótimo feriado.

Thai

Anônimo disse...

what I was looking for, thanks

Atena disse...

OK, Anônimo, be my guest.