"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

terça-feira, 29 de março de 2011

A sabedoria e o poder da criança interior


Em outros posts já falei sobre a criança interna e vou continuar falando. Por que?

Porque é o nosso aspecto Criança que carrega nosso maior poder: a imaginação.

Albert Einstein já dizia que somente a imaginação é maior que o conhecimento. Com absoluta propriedade, pois tudo que a humanidade já criou deveu-se à imaginação. Um invento não cai do céu, ele é primeiramente imaginado pelo seu criador, desde um simples clips (uma das melhores invenções humanas) até um computador.

O ser humano ainda não deu o devido valor nem tem noção da importância da imaginação, já que tudo que é imaginado torna-se real em algum nível ou, como dizem alguns, em alguma dimensão.

Os místicos e esotéricos falam muito na quinta, sexta e outras dimensões, só que ainda não temos a capacidade de saber ou entender o que elas são. O que se sabe é que elas são diferentes níveis de realidades. Muitos as visitam em meditação ou em estados alterados de consciência, contudo o que descrevem deve-se à sua percepção pessoal, não querendo dizer que descreva exatamente o que a tal ou qual dimensão é de fato.

Outra característica ou atribuição da criança interior é a intuição ou sabedoria. A intuição nunca mente, nunca nos “deixa na mão”. É uma sabedoria que muitas vezes dizemos - inata. E é! Está de alguma forma ligada às emoções e aos sentimentos. O aspecto Adulto é a estrutura, mas a Criança é a energia catalisadora.

Todos nós possuímos intuição, alguns mais outros menos, alguns a seguem, outros não.

Muitas vezes já me perguntaram como se diferencia um pensamento proveniente da intuição de um pensamento comum vindo de nossa mente.

É difícil ser taxativo quanto a isso. Às vezes é uma certeza que temos a respeito de algo, sem sabermos como, não existe uma explicação lógica. Outras vezes é um pensamento muito fugaz, quando, se não prestarmos a devida atenção, ele se perde. E nós nos “ferramos”. rsrs

Um atributo muito lindo da Criança é a alegria. É o que nos conecta com a Divindade. Algumas religiões dizem que para você encontrar o Criador precisa ser devoto, obediente, adorá-lo e rezar muito. Grande engano. O Criador é somente amor - que caminha junto com a alegria, são parceiros.

Atenção, contudo, não confundam alegria com prazer. A alegria é pura, desinteressada, não exigente nem depende de algo. É espontânea.

O quarto atributo de nossa criança interna é a ausência de crenças.

As crenças são o fator limitante da vida humana. São as responsáveis por medos, superstições, mal-entendidos, inércia, indecisões, etc.

A Criança pode tudo, para ela não há barreiras, não há limites, ela arrisca. Se não existisse a criança interna não teriam ocorrido as grandes navegações e descobertas dos tempos antigos.

O último atributo ou característica da nossa Criança é o fator de contenção de toda sua impetuosidade e temeridade: a dependência do aspecto Adulto.

Em cada um de nós o aspecto Adulto está aí para conter e cuidar do aspecto Criança. É a razão e o bom senso protegendo o nosso ser de exageros e inconsequências.

Este texto é uma adaptação de uma mensagem de Kryon canalizada por Lee Carrol.

Lembrem: “O caminho mais rápido para o Ser Superior (a Divindade) é a Criança.” (Kryon)

Imagem: garotasincomuns.wordpress.com

Este blog foi criado para você, leitor. E só saberei se você está satisfeito se comentar os posts, ou então, pergunte, questione e sugira temas ou modificações.

20 comentários:

ASTROTERAPIA JUNGUIANA disse...

O inconsciente é fantástico.
Gostei do post, bjs Cynthia.

Atena disse...

Cynthia:
É, o inconsciente é fantástico, mas dá um trabalhoa danado. rsrs
Obrigada pela participação e volte sempre.
abraços

CLAUDIA disse...

Olá Atena!
Sabe quando nos tornamos adultos,ficamos uns chatos se não deixamos nossa criança interior se manifestar,nossa criança nos mantém leve.
Claro que tudo sempre tem que ser bem dosado.
Sabe bom seria se pegássemos nossa criança interior e fossemos dar uma voltinha com ela,quem sabe assim nos tornaríamos mais livres e menos chatinhos,menos autoritários,rsrsrs...
Fico indignada comigo,quando não ouço minha intuição,só quebro a cara,rsrsrs... sabe depois fica aquela voz,viu eu te avisei. Aí eu falo: Eu mereço por ser cabeça dura,agora aguenta!!!
Muito boa postagem Atena.
Bjos em seu coração comcheirinho de Jasmin

Bell disse...

eu acho qe o melhor jeito de estarmos em contato com o nosso ´eu´ é voltarmos a sermos crianças, pois crianças são puras e verdadeiras. tudo pra elas é possivel, e é assim qe deveriamos fazer. tudo é possivel, só basta qerer..rsrs..bjos

Apaixonados disse...

Atena,
que bom que você voltou! Saudades de seus posts.

Poxa poxa poxa! Gostei muito do que li aqui. Também costumo pensar sobre esse aspecto de nossas vidas. Tudo que um dia aqui podemos tocar já foi chamado de "sonho" no passado. A imaginação é sem dúvida alguma um parte importante de nossas capacidades.

A alegria e a ausência de crenças também nos tornam seres melhores. A simplicidade e a ignorância nas crenças faz do homem um ser com amplas capacidades de aprendizado, pois sem o véu de uma crença estamos abertos para as mais variadas abstrações.

Com relação a sabedoria sempre imaginei-a como um atributo da velhice... ^^'

Enfim, adorei o aspecto humano "criança"!!!!

"Vinde a mim as criancinhas, pois o Reino de Deus a elas pertence".

Abraços

Tom

Fabiane disse...

Ei Atena. Andou sumida né? Você tem uma forma simples e didática de falar sobre assuntos que parecem complicados. Parabéns e obrigada!!!

Fa

Luciana disse...

A criança pode ser realmente tudo o que é dito no texto. Mas também pode estar ferida.

Nesse caso ela acababa "atrapalhando"....

Ahh vc recebeu meu email Atena???

Atena disse...

Bell:
A nossa criança interna é a melhor parte nossa, pena que nem todos sabem disso ou os que sabem não valorizam.
Obrigada pela participação.
abraços

Atena disse...

Olá Tom:
Hoje, finalmente estou com internet própria, Nesses dias após minha mudança estava usando um puco aqui, um pouco ali. Agora posso voltar a postar e dar atenção a vocês, meus queridos leitores.
Essa sabedoria da criança, à qual Kryon se refere, é diferente da sabedoria que vem com a velhice. Esta é fruto da vivência, a da criança interior é a sabedoria que vem do Eu Superior de cada um.
Esclarecido? rsrs
beijos

Atena disse...

Fabiane:
Fui professora ou instrutora (termo mais correto) em cursos de capacitação de adultos durante muitos anos, daí vem a experiência em "triturar" rsrs conteúdos mais difíceis ou complicados.
Meu sumiço foi devido à minha mudança de residência e de Estado. Voltei para a terrinha natal (Porto Alegre). Quanto à internet, só hoje estou conectada.
Obrigada pela visita e beijos

Atena disse...

Claudia:
Que bom encontrá-la de novo por aqui. Adorei seu comentária, até parecia eu falando comigo mesma. Também me espinafro quando não sigo minha intuição. rsrs
beijos mil

Atena disse...

Luciana:
Sim, quando a criança é ferida ela pode atrapalhar nossa vida. Aí, o mais importante é acarinhá-la e protegê-la.
Recebi seu e-mail, sábado estarei chegando no Rio.
beijos

Samanta disse...

Olá Atena !!

Como sempre, mais uma postagem incrível !!

Perfeita a colocação de Einstein de que a imaginação é maior do que o conhecimento ! Sem dúvidas, a imaginação é terreno infinito e sem limites.
Já ouvi falar sobre as outars dimensões e não desacredito, pois a mente é mais complexa do que "sonha a nossa vã filosofia" .
Eu tento bastante dar atenção á minha intuição, acredito que ela seja o nosso instinto de sobrevivência, aquele que vem conosco desde os primórdios, onde éramos menos intelectualizados e portanto com menos informações para confundir nossas conclusões.
Mas não é nada fácil, pois acabamos sempre naquela dúvida do "será que é isso mesmo, não pode ser..." estou imaginando coisas... etc. Enfim, como mencionado, quando conseguimos discernir a intuição, ela sempre nos auxilia.
A Alegria foi descrita maravilhosamente !! Espontânea e despretensiosa... sempre !! Se for verdadeira, ela simplesmente flui, existe, sem maiores complicações ou objetivos.
Sobre as crenças, acredito que toda informação que tolhe a espontaneidade acaba por afetar a maneira de como vemos e interagimos com o mundo...
E por último a dependência, que é importantíssima, pois se seguíssemos com a mentalidade da Criança, sem o aprendizado e a razão para nos guiar, as coisas realmente descambariam para o caos, embora este aspecto acabe também, interferindo na espontaneidade, mas vaid e cada um saber encontrar este equilíbrio.
Gostei muito !!
Um beijooo

Atena disse...

Sam:
E você, como sempre, fazendo ótimos comentários!
Não me admira ter gostado do texto, pois já percebi que você tem uma criança interna atuante, o que é ótimo.
Continue assim, alegre e espontânea, com sua criança a mil. Já é meio caminho andado para ser feliz.
beijocas

Manooster disse...

Simplesmente perfeito seu blog! Adorei a maneira tranquila e sensata como você expõe as idéias.. Me esclareceu sobre algumas dúvidas que pairavam na minha mente nas últimas semanas.. Parabéns!!

Atena disse...

Manooster:
Puxa, fico feliz em ter ajudado. Obrigada e volte sempre.
abraços

Tiozão das Batidas disse...

Orgulhosamente programei uma 'chamada' para este ótimo artigo no novo site dos Blogueiros do Brasil. O post será publicado dia 27/10 às 14h .

Abraços cordiais.

Atena disse...

Tiozão:
Mais uma vez obrigada.
abraços

Critica Geral BR disse...

Interessante, realmente todos temos uma criança interior, é a parte que nos mostra a felicidade em coisas simples, até mesmo num cheiro que nos remeta a lembranças da infância real.
Gostei muito do seu blog, e eu voltei a postar no meu com todo gás.

Atena disse...

Olá, Sr. Crítico: rsrs
Seja bem vindo.
Nossa criança interna é uma parte que pode ser muito linda se a aproveitarmos bem.
abraços