"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Precisa-se de um amigo

amizade

Hoje, fazendo uma pausa para descanso da minha cuca, que está sempre fervendo, criando textos que possam ajudar ou esclarecer vocês sobre assuntos tão difíceis de digerir venho hoje homenagear a todos os meus amigos e àqueles que o serão também.

Conheci este texto quando era bem jovem. Não sei como veio parar em minhas mãos, mas o guardo por anos a fio porque o acho lindo e fala sobre a maior riqueza que o ser humano pode encontrar na face da terra – a amizade.

Apreciem.

Precisa-se de um amigo

Precisa-se de um amigo, não precisa ser homem, basta ser humano, basta ter sentido, basta ter coração.

Precisa saber falar, saber calar e, sobretudo, saber ouvir.

Tem que gostar de poesia, da madrugada, dos pássaros, de sol, da lua, do canto dos ventos e da canção da brisa.

Deve ter amor, um grande amor por alguém ou, então, sentir falta de não ter esse amor.

Deve respeitar ao próximo e respeitar a dor que todos os passantes levam consigo ...

Deve guardar segredo sem se sacrificar.

Não é preciso que seja de primeira mão, nem é imprescindível que seja de segunda mão.

Pode já ter sido enganado (todos os amigos são enganados).

Não é preciso que seja puro, nem que seja de todo impuro, mas não deve ser vulgar.

Deve ter um ideal e medo de perdê-lo e, no caso de assim ser, deve sentir o grande vácuo que isso deixa.

Tem que ter ressonâncias humanas.

Seu principal objetivo deve ser o de ser amigo.

Deve sentir pena das pessoas tristes e compreender o imenso vazio dos solitários.

Deve ser D. Quixote, sem contudo desprezar Sancho.

Deve gostar de crianças.

Precisa-se de um amigo para gostar dos mesmos gostares, que se comova quando chamado de amigo.

Que saiba conversar de coisas simples, de orvalho, de grandes chuvas e de recordações da infância.

Precisa-se de um amigo para não enlouquecer; para contar o que se viu de belo e de triste durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade.

Deve gostar das ruas desertas, de poças de chuva e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois das chuvas, de se deitar no capim.

Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo.

Precisa-se de um amigo para se parar de chorar.

Para não se viver debruçado no passado, em busca de memórias queridas.

Que nos bata no ombro sorrindo e chorando, mas que nos chame de amigo.

Precisa-se de um amigo para se ter consciência de que ainda se vive.

Autor desconhecido

Este blog foi criado para você, leitor. E só saberei se você está satisfeito se comentar os posts, ou então, pergunte, questione e sugira temas ou modificações.

8 comentários:

vidarealdasam disse...

Olá Atena querida !!

Que belíssimo texto, obrigada por compartilhar !
Quem dera todos os nossos amigos fossem assim, mas com certeza basta um destes somente para saber que ainda se vive, como diz no final.
Também devemos nos esforçar para ser este amigo de alguém ! :)

Um enorme beijo !

Atena disse...

Samanta:
Tem razão a amizade é uma via de duas mãos, talvez daí a sua beleza.
beijão

Maria Helena disse...

Texto muito delicado. Amigos não são sempre para toda a vida, mas quando se está sendo amigo é muito bom o compartilhamento. Bem haja!

Atena disse...

Maria Helena:
Alguns amigos, raros, são sim para toda a vida. Eu tenho este privilégio.
Seja muito bem vinda ao nosso cantinho. Volte sempre.
um abraço

joselito bortolotto disse...

Ja tinha lido este texto, é real, mas, nem sempre conseguimos achar pessoas assim ...

Maria Laura Neves disse...

Olá Atena,

Agradeço a sua observação sobre o meu blog.
Embora que comunicativa,eu tenho uma natureza introspectiva(no meu mapa os planetas estão praticamente todos abaixo da linha do horizonte);a minha vida é mais vivida interiormente,embora ultimamente tenha o impulso de pontualmente externalizar "vivências", de tal modo que estou a escrever um livro sobre CONSCIÊNCIA.
O conteúto do seu blog confirma-me que somos do mesmo "time";somos SHAUMBRAS. SOMOS TODOS UM, estamos indissoluvelmente ligados.

Até sempre.
Namasté.

Maria Laura(Áurea)

Atena disse...

Joselito;
Não desanime, se ainda não encontrou, com certeza encontrará um amigo com A maiúsculo. Eles existem, só que às vezes estão um pouco escondidos.
abraços

Atena disse...

Áurea:
Tal como você, minha vida é mais interior, mas Adamus cobrou tanto que tínhamos de "fazer" alguma coisa que acabei deixando meu casulo e abrindo este blog.
Encantada de vê-la por aqui, não deixe de voltar e, se quiser, contribuir com sua vivência.
um abraço bem brasileiro