"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

domingo, 31 de outubro de 2010

Você é empático ou simpático?

Empatia
Por que existem pessoas com as quais desconhecidos conversam e até contam intimidades? Já aconteceu com você, no ônibus ou na fila do banco? Se a resposta é sim você deve ser alguém empático. As pessoas empáticas parece que atraem uma conversa ou confidência.
Empático: é aquele que demonstra ou sente empatia.
Empatia: capacidade de sentir o que outra pessoa sente em determinada situação. Saber colocar-se no lugar do outro.
Há pessoas simpáticas que não são empáticas. Simpatia é ser cordial, sorridente e delicado nas relações humanas, mas não necessariamente sentir com o outro.
Há muitos que já nascem com essa capacidade de empatia, outros a desenvolvem no decorrer de suas vidas.
E há outros em cujo dicionário esta palavra não existe. Por quê?
A empatia tem a ver com bondade, compaixão e sensibilidade, contudo nem toda pessoa sensível é empática. Uma pessoa pode ser sensível às artes, por exemplo, e não ser sensível ao sentimento ou sofrimento dos outros.
Para sermos empáticos temos de não só ver as nossas necessidades, mas as dos outros também. Por que devemos achar que as nossas necessidades são mais importantes que as dos demais?
Precisamos primeiramente nos conhecer, conhecer nossos sentimentos, carências e necessidades para poder entender os sentimentos e carências do outro.
Precisamos enfocar mais as semelhanças que existem entre nós porque assim fica mais fácil aceitar as diferenças.
A falta de empatia também pode ser um problema mental. É sabido que os psicopatas ou sociopatas não têm a mínima capacidade de empatia. Sua relação com os demais é totalmente egocentrada e carente de afeto.
Simpatia pode trazer qualidade de vida, vencer oposições, obstáculos ou atrair pessoas, mas empatia pode conquistar amizades ou, quem sabe, aquela criatura sensacional em que você está interessado afetivamente ...
Nas relações humanas, tanto sociais quanto afetivas, haveria bem mais entendimento se as pessoas fossem mais empáticas.
Cada vez mais no mundo dos negócios os empresários procuram pessoas empáticas para atender seus clientes porque já constataram sua eficácia na fidelização dos mesmos. E existem técnicas para desenvolver a empatia. O Dr. Martin Portner, neurologista, trabalha já há algum tempo com técnicas muito interessantes que ele disponibiliza em seu site.
Para quem interessar, este link é para download de seu e-book sobre Empatia no Trabalho: http://portner.sites.uol.com.br/empatia/index.html
Para finalizar, aqui vai um texto de alguém que, muito mais do que eu, resume com perfeição o assunto:
O Milagre da empatia
Artur da Távola
O mais difícil dos sentimentos é o sentimento do outro. O outro é ele e és tu. Ele é realmente o outro ou é a parte tua que não queres ser, saber, ver ou aceitar? Tu és o outro para os outros, logo és igual a ele. Todos somos “outros”. E, no entanto o outro invade, ameaça, mastiga de boca aberta, irrita, eriça, machuca. Até teu filho é o outro. E tu, pobre pretensioso, pensas que ele é teu…
O sentimento do outro quantas vezes te faz parar, meditar, deixar de fazer o melhor que tens ou podes, só porque o outro é o mistério que te ameaça. Por que o outro te ameaça? Porque és tu. Quanto maior teu sentimento do outro, maior será teu o sentimento do melhor e do pior que tens.
O sentimento do outro não é sentir por ele. É saber o que ele sente. É avaliar o como e o quanto ele sente. O sentimento do outro não é o masoquismo de fazer teu, um sofrimento que só a ele pertence. É dimensionares a medida certa do sofrimento dele e só poderes ajudar porque não fazes teu um sofrimento que é alheio mas o entendes e sentes, na exata medida de sua extensão, sem as marcas e as limitações da dor enquanto dói. Não é ficar como o outro. É ficar com o outro. O sentimento do outro é quase um milagre. Cuidado com ele, vai te obrigar a ceder, a entender. Atrapalhará para sempre teu desejo, tua gula e vontade.
O sentimento do outro é aquilo que é mais prático não ter. Mas, em caso positivo é contágio de saúde: não podes deixar de exercê-lo. Senão fermentas. Senão apodreces.
Ele freará tua vitória, calará teu brilho e tua boca, impedirá tua vaidade. Pode, até, te pregar a suprema peça de te fazer entender os detestáveis. Cuidado com ele! Quanto maior, mais anulador! Quanto mais anulador, mais repleto de grandeza.
O sentimento do outro, talvez te faça tímido, herói, cais, antena. Ser antena dilacera, sabias? O sentimento do outro te exigirá nervos, músculos, e uma paciência de anacoreta. Quanto mais o outro o perceba em ti, mais ele te invadirá, cobrará, exigirá, até quando, exaurido, ainda consigas juntar os cacos do teu cansaço para, ainda assim, prosseguir.
O sentimento do outro é tua glória e tua tragédia! Tanto mais o terás quanto encontres em ti os escaninhos escurecidos do que és e, ao mesmo tempo as luzes do que, ainda puro, brilha em ti.
O sentimento do outro é o conteúdo oculto do amor ao Próximo.
Este blog foi criado para você, leitor. E só saberei se você está satisfeito se comentar os posts, ou então, pergunte, questione e sugira temas ou modificações.

11 comentários:

Luciana disse...

Adorei!!

Tanto o que vc escreveu quanrto o texto de Artur da Távola. Alias ele tem cada texto lindo!!!

Luciana disse...

Adorei esse post!!

E nossa o Artur da Tavola tem cada texto lindo..

E acho a empatia algo muito importante. Ela facilita a pessoa a fazer amizades verdadeiras.

Atena disse...

Florzinha:
Que bom que gostou. Eu não a conheço pessoalmente, mas tenho a impressão que você é um apessoa empática.
abraços

Psiquismo Desmistificado disse...

Atena,
Que belo post!!
Existe um grande abismo entre empatia e simpatia, creio.
Simpatia pode ser uma manifestação adquirida e nem sempre é um sentimento profundo ou real.
Empatia é muito mais profundo. É um sentimento nato. É uma manifestação especial.
Enfim, muito bacana a abordagem.
Grande abraço

vidarealdasam disse...

Olá querida Atena !!!

Que texto maravilhoso !!
Nunca tinha parado para analisar estas características !
Muito interessantes, adorei !

Um enorme beijo em seu coração !!

Simone Bichara disse...

Atena! Você além de sensível e muito atenciosa, por tamanha percepção ao relatar o assunto, é, sem dúvidas, empática e simpática.
Obrigada pela visita à minha, nossa, Floresta!
Fico feliz por ter gostado das mandalas. Realmente elas são poderosas; ajuda no meu processo e ajuda as pessoas.
Fique a vontade! São nossas. Estamos (eu e a escritora e amiga que fez a construção do blog e me ajuda nas postagens, etc.) montando um portfólio com todas as mandalas e onde elas poderão ser vistas melhor. Aí, passa lá contemplar e meditar...
Se for possível, aproveite e dê uma olhada no projeto: A mandala e a palavra - dessa escritora amiga que falei. Daniella Paula Oliveira. Ela faz os textos em processo meditativo através das mandalas. É bem interessante...
Mais uma vez, obrigada!
Bênçãos da Floresta e luz das mandalas!
Beijos

Atena disse...

Psiquismo:
É sempre bom encontrá-lo por aqui, com sua sensibilidade e reflexões.
Grata pelo comentário.
abraços

Atena disse...

Samanta:
Parece que atingi meu objetivo, pelo menos com você. rsrs
O de fazer pensar, refletir mais sobre as coisas, principalmente sobre nossos comportamentos e atitudes.
Que bom que esteve aqui.
beijos

Atena disse...

simone:
Obrigada pelo compartilhamento. Nossa floresta é uma beleza!
Com certeza lá passarei momentos refrescantes de pura alimentação energética.
beijos

Anônimo disse...

Nunma taição dentro do casamento,o marido diz que deixou a amante e que ira mostrar a amante e nunca mostra,e vc sente que ele segue mentido oque fazer?

Atena disse...

Olá, Anônima:
Considero bem ruim ficar conhecendo amantes, é melhor não ter uma imagem a quem se comparar (o que sempre ocorre).
Quem trai uma vez, tenderá a trair de novo, portanto pense duas vezes se vale a pena manter tal relacionamento.