"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

sábado, 18 de setembro de 2010

Ainda existe respeito e cortesia?

mesura2
Num ônibus, com quase todos os assentos ocupados, vários passageiros são idosos. Entra um grupo de adolescentes e começa uma conversa em voz bem alta onde de cada quatro ou cinco palavras, uma é um palavrão daqueles bem cabeludos.
Uma vizinha pede, certo dia, uma tigela emprestada. Após um mês sem tê-la devolvido você bate na porta dela pedindo a tigela. Para sua surpresa ela abre a porta do refrigerador para pegá-la. Estava em uso! A sua tigela!
Numa sala de aula da quinta série ............um aluno ouve seu MP3. A professora lhe pede que desligue e guarde o aparelho e o aluno a manda tomar no ...
É meia noite e você apaga a luz para dormir. Eis que ouve uma música em volume altíssimo. Você identifica a origem como sendo de uma casa na rua paralela à sua e que faz fundos com seu terreno. Meio complicado ir até lá aquela hora da noite, então você é obrigado a ouvir o maldito CD até que termine. Uma e quinze da madrugada!
Você está dirigindo seu carrinho, popular e econômico, numa via urbana em velocidade compatível com as regras de trânsito. De repente, no maior susto, é obrigado a frear porque um carrão de luxo acaba de cortar a sua frente.
Estas são situações comuns de quem vive em centros urbanos atualmente. Exemplos do quê? De falta de respeito pelo outro e pelo que é do outro.
Resolvi falar sobre respeito porque acredito piamente que muitas notícias revoltantes que lemos ou ouvimos diariamente são de fatos que não teriam ocorrido se houvesse o respeito pelo outro. O outro que é um ser humano como nós. Em essência igual a nós, independentemente de sua condição social, da cor, da crença ou o que seja.
Parece que o ser humano pauta suas ações com os outros enfocando as diferenças e não as semelhanças que todos nós temos.
Respeito a gente aprende, é construído dentro da família, mas parece que atualmente os pais estão delegando essa tarefa às escolas e o que estamos vendo cotidianamente são as mártires professoras sendo absurdamente desrespeitadas pelos alunos. Algumas nem chamam mais os pais para dar queixa porque sabem que eles darão razão aos filhinhos “monstrinhos”.
No Rio de janeiro a situação já está insustentável, com as professoras sendo agredidas fisicamente e ameaçadas de morte.
Agora com este projeto de Lei, proibindo os pais de darem palmadas nos filhos eu não sei realmente aonde vamos chegar.
Eu não costumo pensar no passado, mas às vezes, conversando sobre o assunto, eu lembro como eu e a minha geração fomos educados por nossos pais. Aprendíamos a respeitar os mais velhos, os professores, enfim a todos a quem nos dirigíssemos.
Havia mais respeito também pelo que era do outro. Roubar, furtar era considerado algo vergonhoso e hoje o pequeno furto é algo corriqueiro em todas as classes sociais (já vi pessoas com aparência de ser classe média alta abrindo embalagens e comendo guloseimas em supermercados).
Eu não sou nem um pouco moralista e digo meus palavrões também – em casa, mas atualmente palavrões horrorosos são ditos nas ruas, dentro dos transportes públicos, em qualquer lugar, principalmente por jovens. Que direito eles têm de ofender pessoas que estão próximas e que por educação familiar ou formação religiosa consideram os palavrões como algo ofensivo ou pecado?
Estamos vivendo num mundo muito louco onde a escala de valores das pessoas está revirada ou invertida. Valores éticos estão sendo considerados “caretas” por muitos jovens.
Na TV vemos programas de pegadinhas onde, muitas vezes, é confundido brincadeira com falta de respeito pela “vítima”, pois ela é submetida a situações humilhantes. E a galera ri e se diverte sem ter a mínima empatia pelo sujeito submetido à pegadinha.
Minorias são discriminadas e sujeitas a preconceitos dos mais variados tipos.
Bem, num mundo onde não existe respeito será que vamos encontrar cortesia? Difícil, não é? Acho que alguns jovens de hoje nem sequer sabem o significado desta palavra, terão de procurar no dicionário.
E sem respeito e cortesia como vivem as pessoas em comunidade, principalmente nos apinhados centros urbanos?
Deixo a reposta com vocês ...
Imagem: http://arpose.blogspot.com/2010/06/pequena-historia-cortesia.html

14 comentários:

Gilberto disse...

Atena, além dessas situações que você relatou, tem uma que me chateia muito. É estar no ônibus ou no metrô e entrar um sujeito com o celular tocando um lixo qualquer no último volume, e todos tem que ouvir. A vontade que tenho é de pegar o telefone e enfiar na goela do energúmeno.

PROFESSOR RENATO PANTANAL disse...

Salve! Salve! Amiga Atena, belo post, Amiga,não é só nos Grandes centros não minha nobre, agora no interior estão banalizando tudo, pais não estão nem aí, e se você for chamar os mesmos por alguma infração cometida pelo filho dele ah! Amiga ele te batem é o fim do mundo!
abraços!

Victinho disse...

Atena esta faltando é educação para os mais jovens.
Cada dia que passa esta ficando pior. Aqui no interior ainda existem muitas pessoas cordiais e com muito respeito, mas infelizmente são minoria.
Excelente post,
Bjs,
Vitor.

Sissym disse...

Eu tambem fico abismada com programas televisivos que fazem pegadinhas, normalmente de muito mal gosto. E as tais videos cassetadas que sempre apresentam situações perigosas. Falar de respeito é abrangente, pq começa dentro de casa, nas atitudes na rua, em lugares publicos, vai alem, pensando em politica e justiça. A gentileza tem sido vilipendiada, porque o respeito tambem tem sido.

Luciana disse...

Existe sim. Tá cetrto que muitas pessoas não estão nem aí para o outro. Mas eu conheço muitas pessoas cordias e com respeito. Inclusive no Rio de Janeiro. Podem ser minoria. mas existem sim...

Vai ver sé porque sou nova ainda e não tenho uma visão pessimista da vida. srsrsrs

Dú Pirollo disse...

Minha querida amiga Atena, boa noite!!!
Ainda existe respeito e cortesia, mas está em extinção... O povo de uma maneira geral perdeu o encanto pela vida em comum, perdeu o respeito, o carinho, a fraternidade com os seus semelhantes... Hoje o que vemos é um monte de gente estressada e mal educada, qualquer coisa é motivo para discussão e briga, presenciamos isso diariamente em todos os lugares... Precisamos rever os nossos conceitos com muita urgência.
Parabéns pela excelente postagem, muito oportuna!!!
Grande abraço e muita paz!!!

Atena disse...

Amigos do Dihitt:
Que bom vê-los por aqui! Agradeço os comentários e os elogios.
Abração a todos

Atena disse...

Florzinha:
Também conheço, felizmente, pessoas respeitosas, mas você reconheceu que são minoria. Este foi o motivo do post: chamar a atenção para o assunto.
beijocas

Leila Franca disse...

OLá,

Realmente a coisa na escola anda feia há muito tempo. Eu, por exemplo, fiz uma licenciatura, mas acabei desistindo de dar aula, pois um dos inconvenientes era justamente este: a falta de respeito. Mas também tenho visto bons exemplos de cortesia no dia a dia. Há pouco tempo, a balconista de uma loja foi tão atenciosa comigo que fiquei até com vontade de chorar! rs Mas foi mesmo! Acho que até escrevi um post sobre isso.

Atena disse...

Leila:
Sou mãe de uma professora e amiga de outra que leciona no Rio. Ambas contam poucas e boas sobre o que se passa nas escolas.
Agradeço a presença e o comentário.

Jackie Freitas disse...

Atena, minha querida amiga!
Infelizmente respeito e cortesia ficaram trancados em um baú e soterrados num passado (nem tão distante), difícil de resgatar.
O que eu tenho feito é tentado ensinar o que me resta deles para que meus filhos continuem com essa árdua missão e (quem sabe?) possam fazer a diferença neste mundo.
Não temos saída a não ser iniciarmos (ou recomeçarmos) essa corrente da bondade, onde os bons costumes, educação, respeito e gentileza, são pontos dignos do ser humano.
Grande beijo ,
Jackie

Atena disse...

Jackie:
você é uma das pessoas certas para levarmos avante esta corrente. Vamos bater com água na pedra dura, até que fure. rsrsrs
Obrigada e beijão

Hermes C. Fernandes disse...

Olá Atena!

A cortesia deve começar em nós. Não basta esperar que sejamos tratados com respeito e gentileza. Temos que dar o primeiro passo. E mesmo que não recebamos em troca o que oferecemos, não podemos desistir.

Parabéns pelo trabalho apresentado aqui no blog.
Já estou seguindo.

Aproveito para convidar-lhe a conhecer o meu blog, e se desejar também segui-lo, será um prazer.

Seus comentários também serão sempre bem-vindos lá.

www.hermesfernandes.com

Conto com você!

Atena disse...

Hermes:
Obrigada pela presença e elogio. Com certeza visitarei seu blog.