"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

A Saga Crepúsculo

Crepúsculo

Esta semana, no conforto de minha poltrona preferida, assisti Eclipse, o último filme da série Crepúsculo. Gostei dos três e, me perdoem os cínicos e intelectuais de plantão, não ofendeu minha inteligência. Primeiro porque cinema, para mim, é sinônimo de diversão e não de encucação. Segundo porque toda mulher que se diz feminina curte um filme romântico. Terceiro porque há um conceito nesta série, que vamos ver aqui, de vital importância para a evolução do ser humano.

Já li e ouvi explicações ou interpretações sobre o sucesso da Saga e o fascínio que exerceu sobre os adolescentes. Variando entre: o fascínio por vampiros ser antigo ou o desejo humano pela vida eterna até o papel primordial do sangue como fluído vital. Explicações bem fundamentadas e das quais não nego a propriedade, mas em nenhuma delas tocou-se num conceito que permeia os três filmes (ou livros).

Uma das explicações dizia que os vampiros causam repulsa, mas ao mesmo tempo oferecem às vítimas a vida eterna. Daí o seu fascínio.

A causa da repulsa aos vampiros seria o fato de não terem alma e também a tirar de suas vítimas.

Agora pergunto: por que o ser humano crê ser tão terrível não ter alma?

Porque somente o ser álmico “tem lugar” junto ao Criador?

Tantas pessoas crêem em Arcanjos e Anjos e por acaso acham que esses seres são inferiores a nós, humanos, porque eles não têm alma? Ou nunca pensaram sobre isso e está a nível inconsciente?

Segundo a tradição, esses seres são completamente devotados a ajudar e cuidar da humanidade a qual amam incondicionalmente ... E então? Não merecem estar também junto ao Criador?

Se não tivermos alma não seremos salvos? Mas salvos do quê?

Ausência ou não de alma ... Caso para pensar ...

Bem, vamos ao conceito que me deixou tão encantada com a Saga: ela mostra, desde a primeira parte o AMOR INCONDICIONAL de Edward por Bella.

A humanidade já tem amostras de amor incondicional na maioria das mães e numa boa parte dos pais, mas em relacionamento amoroso seja hetero ou homossexual o que a gente encontra é o amor egoísta e possessivo.

Este é o ponto que quero ressaltar. Já abordei o assunto em “Você ama de verdade?”

Edward demonstra também compaixão, que é respeitar e aceitar o desejo do outro. Ele, por amor, não quer transformar Bella em vampiro por considerar essa situação uma maldição, mas se resigna a tanto por respeito ao desejo da moça.

Fico cogitando se a autora da Saga teve consciência do motivo de, do trio romântico, somente o vampiro sentir o amor verdadeiro. Sim, porque em Eclipse fica claro que Jacob (o homem-lobo) sente por Bella um amor bem humano (possessivo) e quanto a Bella, ela esclarece que há outro motivo para querer se transformar em vampiro e não só o amor que sente por Edward. Aliás, ela também ama a Jacob. Uma ambigüidade que não fica bem esclarecida no filme (coisas para dar mais lucro...).

Sim, os filmes estão longe de serem obras de arte. São filmes para consumo das massas e gerar grana, contudo esta mensagem do amor verdadeiro é de se tomar nota.

Será que a autora, pelo conhecimento do ser humano, julgou que somente Edward seria capaz disso?

O amor incondicional e a compaixão são condições sine qua non para a nossa evolução.

Ah, Edward ... Além de lindo, evoluído? Rsrsrs

Foto: http://updatefreud.blogspot.com/2010/07/crepusculo-lindsay-lohan.html

6 comentários:

Luciana disse...

Devo admitir que não esperava um post sobre a saga aqui. srsrs

Eu gosto muito da saga. Li todos os livros já. Não vejo problema nenhum o objetivo do filme ser arrecadar dinheiro. Afinal todos os filmes tem esse objetivo. E cinema para mim é diversão e só. Não precisa ser educativo, não. srsrsr

Acho que o amor de Bella por Jacob está mais explicado no livro. O filme é sempre mais resumido.

Ao ler o livro eu achei super nattural ela se encantar com o Jacob também. Afinal ele foi a pessoa que mais a ajudou quendo Edwuaed achou que seria melhor deixá-la.

Atena disse...

Florzinha:
Já que você leu os livros me esclareça se errei em meu julgamento ao considerar que somente Edward é o que dá exemplo de amor verdadeiro ou incondicional.Ok?

Luciana disse...

Eu não falei que Jocob dava amor incondicional também.

o que eu disse é que eu entendo Bella ter se apaixonado po ele também. No livro Lua Nova quando Edward acdecide deixa-la por achar que será melhor para ela. é Jacob quem dá apoio para ele.

Devido a isso acho natural ela ter se encantado com ele também. Já que antes de Jacob se aproximar dela ela mal saia da cama. O livro explica bem isso.

Foi isso que eu quiz dizer. srsrsrs

Luciana disse...

Quanto a se vc errou. Não sei. Acho o amor de Jacob poer ela bem verdadeiro também. Apesar de ele ter lutado por ela no final acaba aceitando q a escolha dela também. Meio relutante mas aceita. srsrsrs.

Ahh, eu respondi o seu coméentário no meu blog.

Eduardo Medeiros disse...

O nome do cara só podia mesmo ser "Edward" heeee

Bem, não posso falar muito da saga porque não vi os filmes e não li os livros. É, sei, pecado imperdoável...sério, sou fã desses tipos de sagas mas ainda não tive tempo de ler ou assistir.

No mais, fica aí o exemplo do amor incondicional.

Atena disse...

Oi, Edu:
Não esperava comentário dos "cabeças pensantes" neste post, achei que o título os afastaria rsrsrs
Não me atrevo a recomendar nem os livros (que não li) nem os filmes para você. Acho que é o tipo de filme que homem não gosta: bem açucarados, ...rsrsrs
contudo agradeço pela visita.
abração