"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

A premiação do grito - Scream Awards 2010

screams

Dia 31 pp. assisti na TV a um tal de Scream Awards 2010. Nem sabia que essa premiação existia, mas como devia estar num surto inconsciente de masoquismo, resolvi olhar a tal de premiação.

Scream Awards é um prêmio dedicado a filmes do gênero terror, ficção científica e fantasia, revistas em quadrinhos violentas, etc. Não preciso dizer que é americano, não é?

Bom, vamos esclarecer que o show da premiação é um exemplo magistral de non sense, algo parecido com certos programas de variedades dos canais abertos brasileiros. Nas pausas feitas pelos apresentadores a mulherada presente (grande maioria) gritava histericamente. As roupas, maquiagens e perucas, de ambos os sexos, usadas pela plateia, eram bizarras. Uma mistura de halloween com carnaval brasileiro.

O pior do espetáculo era que mostravam cenas dos filmes de terror que estavam concorrendo aos prêmios. Um dos prêmios era “melhor cena de mutilação”. Dá para acreditar numa coisa dessas? Então fiquei tapando os olhos uma boa parte do tempo.

Não consegui assistir até o final, mas durante o tempo em que fiquei olhando aquele festival de horrores, muita coisa veio à minha cabeça. tsk tsk

Por que o ser humano assiste e – gosta de filmes de terror com cenas absolutamente desumanas e nojentas?

Já li e ouvi diversas explicações de especialistas como: é uma forma de fazer catarse; as pessoas gostam porque se sentem vivas (quem morre é a personagem no filme); se sentem aliviadas porque sabem que é só uma fantasia; etc. A meu ver é total e completa rejeição pelo bom gosto.

Cinema é diversão, cultura e de certa forma uma “fuga” aos dissabores da realidade nua e crua do dia a dia. Então por que não fugir com filmes alegres, divertidos ou bem humorados?

Desde o início da história do cinema houve filmes de suspense e terror, mas até a década de 1950 eram bem ingênuos, sem cenas chocantes, em parte porque não havia a tecnologia que existe hoje, mas creio que principalmente porque as pessoas não estavam tão enlouquecidas quanto atualmente.

Hoje colocam na web cenas de decapitação reais feitas por terroristas, cenas dos corpos vitimados em desastres aéreos, um dos meus filhos me contou que existem sites dedicados só a bizarrices. Que mundo é esse?

Calígula e Nero até hoje são condenados por seus atos e lembrados como bárbaros e loucos, mas o que acontecia lá na Roma antiga não fica devendo nada para o que se vê atualmente na vida real e nos filmes.

Os filmes de terror atraem milhões de pessoas aos cinemas, muito mais do que filmes com bom conteúdo. Aí dirão alguns: mas filme não é real, é fantasia. Sim, mas o que se passa na mente dos espectadores é bem real.

As pessoas precisam entender que pensamentos são reais. Alguns pensamentos quando carregados de sentimentos ou emoções adquirem vida própria e mais longa é essa existência conforme vai sendo alimentada pela energia de outras pessoas tendo o mesmo tipo de pensamento. Aquela dimensão chamada de Umbral, por alguns, está repleta de formas-pensamento de todo tipo. Segundo indivíduos que conseguem se conectar com essa dimensão, a chamada viagem astral, lá se encontram todo tipo de horrores, talvez até pior do que se veem atualmente nos filmes de terror.

Imaginem a quantidade e o tipo de pensamento de milhões de pessoas assistindo a um filme com cenas bárbaras e sanguinárias ... muitas, mas muitas mesmo dessas cenas vão adquirir vida no Umbral. Depois não querem ter pesadelos noturnos (durante o sono quase todos nós passeamos por lá). Aff

Eu sei que a violência e a barbárie fazem parte da experiência chamada Terra, mas pombas já estamos no século 21, não está na hora de evoluir um pouquinho? Só um pouquinho que seja?

Este blog foi criado para você, leitor. E só saberei se você está satisfeito se comentar os posts, ou então, pergunte, questione e sugira temas ou modificações.

14 comentários:

Gresder Sil disse...

Mas Atena você não esta implicando com um gosto de outra pessoa, é mesma coisa de você criticar um urubu por ele comer carniça, pois apesar de isso ser para você nojento, tratasse de algo natural para ele. Ainda para piorar você filosofar sobre o motivo de porque o urubu comer carniça rsrs

Umbral! Umbral! Isso não passa de um eufemismo moderno para purgatório?
Acaso se eu chamar o “diabo” Deiblom e disser que ele não tem cifres e que se parece com um elegante executivo ele se torna real?

Luciana disse...

Olá Atena!!

Sabe eu nunca gostei de filmes muito violentos. Acho que já tem muita violencia no nosso dia a adia. Então prefiro ficar livre disso ao menos no entreterimento. srsrs

Eu sempre fui meio radical nesse aspecto. Quando era criança detestava até Tom e Jerry. Não conseguia ver graça nenhuma em um gato e um rato tentando ferrar um ao outro. Eu saia da sala quando meu irmão via. srsrs

E a quem me diz que não assistir esses filmas não muda a realidade. Eu digo que assisti-los também não. srsrsrs

-*Vera Luz*- disse...

Olá amiga Atena!

Que desabafo amiga! Frente a tantas coisas que ainda são reforçadas nesta vivencia humana, uma vez você já falou tudo e deixou tudo bem claro o que realmente acontece, e que os sonhos estão realmente ligados à nossa parte espiritual, não há como encher nossos pensamentos com tudo isso que depois ainda querer ter bons sonhos mesmo! O ruim é que além disso fica como acúmulo em nossa aura, carregamos nosso campo energético de acordo com a sintonia que fazemos, por isso costumo sempre dizer se é para ter pensamentos e construir com eles, que sejam coisas positivas! Enfim, é preciso ainda muita paciência frente aos estágios de cada um! E que Deus nos ajude bastante, para que possamos cooperar da melhor forma possível!

Um abraço,
"Todo o Conhecimento é Luz que Inspira a Alma" -*Vera Luz*-

Atena disse...

Gresder:
Não se trata de implicar com o gosto alheio, mas de esclarecer. Como ser evoluído que sou, eu aceito e tenho compaixão pelos que ainda estão no 1° ano da escola Terra, mas também é meu trabalho esclarecê-los.
Quanto ao purgatório, é um conceito religioso ao passo que o Umbral tem centenas ou milhares de depoimentos de pessoas que por lá estiveram conscientemente e não como a maioria que só vai enquanto dorme.
Eu não julgo os adoradores de filmes de terror como urubus e sim como ignorantes de alguns fatos, como o que citei no texto. rsrsrs
grande abraço

Atena disse...

Luciana:
Assistir filmes violentos pode sim mudar a realidade, principalmente no caso de acrianças ou adolescentes que ainda não têm ego bem estruturado.
Beijos

Atena disse...

Verinha:
Pois é, nem mencionei o campo da aura para não complicar muito as cabecinhas de quem desconhece o assunto.
Ainda temos muito caminho pela frente, mas continuaremos com nosso trabalho.
Obrigada pela visita.
Beijos

Gresder Sil disse...

“Como ser evoluído que sou” Atena isso não soa meio arrogante, ou infantil rsrs

Pois um ser evoluído não diria “eu sou evoluído”, pois quem diz “eu sou isso...” tem carência de provar alguma coisa, ao contrario de quem tem apenas que provar para todo mundo que não tem que provar nada para ninguém rsrs.

Qual é a prova moral ou “diploma” de que voce passou do “1° ano da escola Terra”rsrs

E mais você não acha que... chega é brincadeira só estou te cutucando rrs

Luciana disse...

Atena,

Tlavez. Mas sabe acho tão estranho alguem basear suas decisões em filmes. srsrs

Eu já vi pessoas matando em filmes, novelas. E nunca senti vontade matar ninguem.

Não acho que a culpa da violência seja dos filmes. srsrs

Atena disse...

Gresder:
Você é um pândego (conhece esta palavra que tirei do baú?rsrsrs)
Vou responder seu comentário com um post. Quando o postar, lhe aviso.

Atena disse...

Florzinha:
Eu não disse que os filmes provocam a violência, eu disse que podem atingir certas pessoas (algumas): crianças, adolescentes ou adultos que já são um pouco fora da casinha.

Norma Villares disse...

Atena
Claro que pode copiar. Eu wncontrei na net.
Vou ler seus posts.
Grande abraço
Norma

Atena disse...

Norma:
Muito obrigada pela gentileza e pela visita.
Espero que aprecie o meu cantinho.
abraços

Eduardo Medeiros disse...

Oi. Uma coisa é uma coisa outra coisa é outra coisa, como dizia o filósofo 45 grau de evolução...rsss

A violência faz parte da nossa 'natureza' queiramos ou não. Só podemos destacar a paz se houver a guerra. A violência em alguns casos é até desejável. Já pensou se o mundo ficasse só olhando o que Hitler estava fazendo?

Eu gosto de boas estórias. Comédias, romances, dramas, suspeses e terror. Mas a história tem que ser boa.

Por exemplo, assisti ao jogos mortais 1 e achei espetacular apesar do clima psicológico pesado e das cenas sanguinárias. Os outros não vi nenhum pois virou produto e a questão financeira falou mais alto e o padrão de qualidade caiu pelo que me consta.

Frankstein, por exemplo, é um clássico, assim como Drácula. Mas não sou de acordo a crianças verem esses filmes. Eu vejo numa boa, não sonho nem nada, pois sei que aquilo é apenas um estória bem filmada. Mas prefiro mesmo os de ação (que aliás também estão repleto de tiros, bombas, suspenses, etc).

Agora sobre o Umbral...perguntinha: você acredita no céu ou no inferno do cristianismo? Se não, por que então acredita em Umbral? Em que o Umbral é um conceito diferente do céu ou do inferno? Por que várias pessoas dizem já terem ido lá? Olha amiga, o que eu já conheci de gente que diz ter ido ao céu...rsss

beijinhos e não deixa o Gresder te chatear.

Atena disse...

Eduzinho:
Também gosto de filmes de ação, nas cenas brutais eu fecho os olhos. rsrs O caso é o seguinte: pessoas que já estão numa frequência mais elevada, como também é o seu caso, não têm sua energia afetada por cenas violentas e/ou sanguinárias, mas essas não são a maioria. Você sabe disso.
Ok, já vivemos num mundo violento, então por que o nosso lazer também incluí-la?
Existem filmes com violência que são excelentes, onde a violência é bem inserida num contexto, agora esses filmes trash que atraem grandes bilheterias são carregados de violência gratuita. Você percebe que são esquematizados só para chocar e espirrar sangue na tela. É o que eu acho.
Quanto ao Umbral: acho que vou ter de postar a respeito, pois não dá para resumir o assunto.
Gracias pela visita
abração