"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

A Sucção da Sedução

Hoje a postagem é diferente, é voltada aos shaumbra. Quem não o é pode não entender alguns termos, mas tenho certeza que algumas coisas ditas pela Jean irão tocá-los também porque a problemática humana é universal. Passamos todos pelas mesmas emoções, dúvidas, questionamentos, tristezas, sustos e perplexidades.

mãon'agua

Texto de Jean Tinder em Shaumbra Heartbeat, maio/2008

Durante o último Shoud, quando Tobias falava sobre sedução, eu venho ouvindo e sentindo a palavra “sucção”, não só porque elas soam muito parecidas, mas também porque sedução tem muito a ver com a maneira como as coisas podem atrair e sugar você. Quando você segue em frente, o passado pode puxá-lo de volta – seja um momento atrás, seja um relacionamento anterior, seja uma vida anterior. Quando você expande e cresce, pode ser que as velhas limitações e jeitos de ser tendam a atraí-lo novamente para padrões familiares.

Isso é, na verdade, um efeito natural. Quando você movimenta sua mão na água, isso causa turbulência e um tipo de sucção, visto que a água tenta preencher o local onde o movimento desestabilizou seu equilíbrio anterior. Pelo mesmo princípio, o movimento e a expansão da consciência criam o efeito natural da sucção/sedução, visto que as energias ao nosso redor procuram voltar ao seu velho equilíbrio.

Você conheceu alguém que lhe é familiar há tempos e se encontrou caindo nos – ou tentando recriar – os mesmos velhos padrões? Não é carma, é a sedução dos “bons velhos dias”, a inércia do status quo, a resistência à mudança. Até o drama e a dor estão tão arraigados no mundo, que ele procura manter seu atual estado de desequilíbrio em vez de mudar e de expandir.

Você já sentiu o puxão do passado, as velhas histórias de quem nós fomos uns com os outros e com nós mesmos? Histórias e memórias podem ser as mais sedutoras de todas. Elas podem sugá-lo e fazê-lo querer reviver e recriar – ou fugir e repudiar – o passado. Você foi queimado na fogueira por expressar sua verdade? Que história sedutora pode ser essa, levando-o a querer contá-la de novo e de novo – ou nunca falar sua verdade em voz alta novamente! Você amou alguém profundamente e compartilhou significativas vidas junto com essa pessoa? Que sedutor é, querer recriar esse lindo relacionamento do passado, ao invés de permiti-lo evoluir de uma nova maneira. Você teve experiências traumáticas em sua infância e descobriu que, quando começou sua jornada de cura, quase se tornou uma obsessão contar às pessoas sobre isso? Você compartilhou incríveis experiências com alguém nesta vida e depois tentou persistir quando tudo acabou? Que difícil pode ser, às vezes, deixar ir e retornar para o Agora.

Este “deixar ir, seguir adiante e expandir para além de” que estamos fazendo, na verdade, cria a turbulência “atrás” de nós, atraindo-nos para voltar, querendo que as coisas se acalmem novamente. Você tem sentido isso ultimamente? Você até mesmo sentiu que tinha feito alguma coisa de errado? Que você pode ter virado na direção errada em algum lugar? As energias ao seu redor – amigos, família, humanidade – o têm atraído? Como você pode permanecer sem ser sugado de volta?

É claro que a única resposta é permanecer tão equilibrado e centrado em si mesmo a ponto de toda sucção no mundo não surtir efeito. Oh, você a sente, como uma árvore sente o vento puxá-la; como sua mão sente a turbulência quando você a movimenta na água. Mas a árvore está tão enraizada em Gaia, sua mão está tão conectada a você, que ela não é puxada pra longe.

Por ser humano, você sente o puxão, a sedução; por ser Shaumbra, você sabe que isso não é seu, até mesmo quando você sente...

... a segurança daquele emprego do qual você não gosta realmente, puxando-o de volta da ampla liberdade e do vazio desconhecido da total confiança em si mesmo e da autêntica expressão.

... a fascinação de desvendar tudo racionalmente e logicamente que o atrai para longe da intuição, do coração e do saber indefinível que você simplesmente não consegue explicar.

... a irresistível atração de um amor que você costumava conhecer, atraindo-o de volta para as velhas histórias e para longe da mágica daquilo que está neste momento.

... a gratificação de tentar salvar alguém de si mesmo, atraindo-o para fora da compaixão e da confiança, e criando ainda mais separação.

... a sedução do medo e do drama ao seu redor, levando-o para longe de seu conhecimento de que tudo está verdadeiramente bem.

... a atração magnética da maneira como as coisas costumavam ser – sejam dores infligidas, dramas compartilhados, ou alegrias celebradas – puxando-o de volta da total experiência do AGORA.

... talvez até a sucção das suas próprias histórias e definições de si mesmo que o mantém pequeno, quieto e confortável, puxando-o de volta da expressão do seu EU SOU para todo o mundo.

Shaumbra, você pode sentir todas essas energias sedutoras atraindo-o, mas elas não são suas – não mais do que a tempestade pertence à árvore. Elas são simplesmente a turbulência natural que ocorre quando você faz a escolha de crescer, de expandir e de confiar em si mesmo. Sinta VOCÊ MESMO, querido Shaumbra. Sinta a liberdade em seu próprio coração, a verdade de seu próprio conhecimento, a paixão da sua própria expressão, o espaço seguro do seu centro.

Sinta VOCÊ primeiro – torne-se íntimo de sua própria alma – e depois será fácil saber o que não é você. A sedução só acontece quando a consciência expande, como a turbulência atrás de sua mão quando ela se movimenta na água. Isso não é bom ou mau, e isso não precisa atraí-lo para fora do equilíbrio de sua mente ou do seu corpo. Apenas continue escolhendo, continue expandindo, continue respirando... e permaneça verdadeiro em relação ao ritmo da batida do seu próprio coração.

Tradução de Mabel Gouveia

8 comentários:

Luciana disse...

bem, se sou Shaumbra ou não eu não sei.

O que eu sei é que estou me transformando, isso não dá para negar. Algumas reações minhas as acontecimentos da vida estão completamente diferente. Mas daí a dizer que isso muda a Terra é demais. O clima fica um pouco melhor entre eu e algumas pessoas. Me sinto melhor comigo mesma. Mas mudar o planeta...

E as vezes acho que sintoessa sedução sim. Eu costumava ser muito insegura mas agora estou ficando mais segura. Só que as vezes eu acho isso um pouco estranho. Parece que não sou ei. srsrsrs

R149 3o75s disse...

Belo texto,Atena.Me fez lembrar uma frase do "JC",mais ou menos assim:[Uma vez que tua mão esteja no arado,
não olhes para trás].Agora,pior do que a rotina de uma vida,só mesmo criando raízes e permanecendo nela,
fazendo tudo igual,ano após ano e...mentalmente tbm,
fazendo tudo igual,o nosso já paupérrimo cérebro,só pode mesmo é atrofiar e virar pedra,ó Pedro Plural da Silva! Todo mundo vê isso,todo mundo sabe disso,
maaassss,parece que dói na alma nossa de cada dia,dar uma variadazinha;o quê é iççu minha gentem? Se somos sementes,vamos tratar de coisas que nos façam brotar,
sair da casca e,Viver de fato e de direito;afinal,eççe é o dever e obrigação de tudo que existe:crescer,
evoluir,transformar-se...

Vou parar por aqui,antes que me empolgue muito,citando
o que gentilmente roubei do texto:

"Até o drama e a dor estão tão arraigados no mundo,que ele procura manter seu atual estado de desequilíbrio em vez de mudar e de expandir."

***

Atena,hoje à tarde estive passeando lá pelo site Círculo Carmesim e vi alguma correlação com os artigos de umas revistas que tenho por aqui,a AMALUZ,conhece?
Ela já saiu de circulação,mas muitas matérias estão neste endereço: http://www.eurooscar.com/amz/indice.htm

Quando puder,confira o índice lá.Os temas são fruto de Canalização,tão bem.

1 grande abraço pra vc.Fui!

Atena disse...

Radi:
eu tenho quase todas as edições da Amaluz. Muito aprendi com elas. Um dos seres canalizados, o Lazaris eu chamava de meu terapeuta. Foi importantíssimo para a minha vida pessoal e também para a minha evolução. Essa shaumbra Jean Tinder tem ótimos textos, quando houver mais traduzidos eu colocarei aqui.
beijos

Atena disse...

Florzinha:
Não é importante se você é shaumbra ou não. O que realmente importa é que você está se trabalhando internamente, o que resultará em sua evolução.
Quanto a mudar o planeta, nós já o mudamos, pois as profecias apocalípticas não aconteceram e nem vão acontecer. Você só precisa de mais conhecimento para conseguir entender como isso funciona.
beijão

Luciana disse...

Verdade Atena.

O importante mesmo é a minha trnansformação. O fato de eu estar olhando o meu interir e não se sou Shaumbra ou não.


Mas sabe acho que sou um pouco diferente da maioria das pessoas voltadas para espiritualidade.

Eu entrei nessa não por achar que tinha uma missão, mas porque tudo ficou tão confuso que eu tive de entrar. E graças a Deus está melhorando. Não na velocidade que eu gostaria mas está. srsrsr

R o pathwork é perfeito para mim. Eu leio outras canalizações também,.. Mas percebi que são do pathwork que eu consigo captar mais coisas.

Atena disse...

florzinha:
Tudo está sempre justo, certo e dentro da divina ordem. Isso quer dizer se você tem mais afinidade com o Pathwork, isso é o melhor para você. Quanto a ser diferente de outros buscadores da espiritualidade, não se preocupe, pois existem de todos os tipos.Se não for shaumbra, considere um alívio, pois o nosso caminho é árduo e difícil. Mas como disse antes, a "garimpagem" do interior é o principal e o início da evolução.

Luciana disse...

Não sei se é mesmo para sentir alivio. srsrs. Não acho meu caminho fácil não. srsrs

Mas não tenho duvidas de uma coisa. O melhor para mim é o pathwork. Em nenhum material eu sinto tanta afinidade. Embora goste das mensagens dos shaumbras também. Mas como eu disse eu capto tudo. Mas tudo bem porque o pathwork é simplesmente maravilhoso. E eu descubro muitoa coisa sobre meu interor atravez desse metodo.!!!

beijsos

R149 3o75s disse...

Que surpresa,minha particular deusa da Sabedoria! Então,dentre outras matérias e materiais,(revistas AMALUZ) parece que temos mesmo,coisas em comum... PSI rules the world! Besos.