"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Diferenças entre religião e espiritualidade

rezando

Hoje o texto não é de minha autoria, foi gentilmente cedido por Luis Pellegrini que o postou em seu blog. A ele meus agradecimentos por partilhar este texto que tão brilhantemente aponta as diferenças entre os dois conceitos.

Religião e espiritualidade

A religião não é apenas uma, são centenas.

A espiritualidade é apenas uma.

A religião é para os que dormem.

A espiritualidade é para os que estão despertos.

A religião é para aqueles que necessitam que alguém lhes diga o que fazer, querem ser guiados.

A espiritualidade é para os que prestam atenção à sua Voz Interior.

A religião tem um conjunto de regras dogmáticas.

A espiritualidade te convida a raciocinar sobre tudo, a questionar tudo.

A religião ameaça e amedronta.

A espiritualidade lhe dá Paz Interior.

A religião fala de pecado e de culpa.

A espiritualidade lhe diz: “aprende com o erro”.

A religião reprime tudo, te faz falso.

A espiritualidade transcende tudo, te faz verdadeiro!

A religião não é Deus.

A espiritualidade é Tudo e portanto é Deus.

A religião inventa.

A espiritualidade descobre.

A religião não indaga nem questiona.

A espiritualidade questiona tudo.

A religião é humana, é uma organização com regras.

A espiritualidade é Divina, sem regras.

A religião é causa de divisões.

A espiritualidade é causa de União.

A religião lhe busca para que acredite.

A espiritualidade você tem que buscá-la.

A religião segue os preceitos de um livro sagrado.

A espiritualidade busca o sagrado em todos os livros.

A religião se alimenta do medo.

A espiritualidade se alimenta na Confiança e na Fé.

A religião faz viver no pensamento.

A espiritualidade faz Viver na Consciência.

A religião se ocupa com fazer.

A espiritualidade se ocupa com Ser.

A religião alimenta o ego.

A espiritualidade nos faz Transcender.

A religião nos faz renunciar ao mundo.

A espiritualidade nos faz viver em Deus, não renunciar a Ele.

A religião é adoração.

A espiritualidade é Meditação.

A religião sonha com a glória e com o paraíso.

A espiritualidade nos faz viver a glória e o paraíso aqui e agora.

A religião vive no passado e no futuro.

A espiritualidade vive no presente.

A religião enclausura nossa memória.

A espiritualidade liberta nossa Consciência.

A religião crê na vida eterna.

A espiritualidade nos faz conscientes da vida eterna.

A religião promete para depois da morte.

A espiritualidade é encontrar Deus em Nosso Interior durante a vida.

Guido Nunes Lopes - Físico

Doutor em Energia Nuclear na Agricultura, ARC – Academia Roraimense de Ciências, UFRR – Universidade Federal de Roraima

Imagem: poesias.omelhordaweb.com.br

Este blog foi criado para você, leitor. E só saberei se você está satisfeito se comentar os posts, ou então, pergunte, questione e sugira temas ou modificações.

21 comentários:

Eduardo Medeiros disse...

gostei muito do texto; realmente religião e espiritualidade estão muito distante uma da outra.

beijos

Atena disse...

Edu:
Com certeza.
beijos

-*Vera Luz*- disse...

Olá Amiga Atena!

Realmente maravilhosas palavras! Hoje postei um texto que diz falar com Deus! Espiritualidade pra mim liberta, porque quanto mais buscamos, mais nos desenvolvemos e aprendemos e assim nos tornamos responsáveis pelo que somos e não culpamos os outros mais, por isso creio que a espiritualidade realmente nos liberta! Obrigada por compartilhar!

Um abraço,
"Todo o Conhecimento é Luz que Inspira a Alma" -*Vera Luz*-

Beth Muniz disse...

Nossa Atena,
Que texto!
Bateu comigo.
Não tenho religião, mas creio ser uma pessoa espiritualizada, pelo menos nas minhas ações.
Adorei.
Beijo.

Guiomar Barba disse...

Só queria deixar uma pergunta: por acaso não seria os religiosos em vez da nomeclatura, religião?

Finalmente o que significa religião?

Abraço.

Guiomar Barba disse...

Bom, repito a pergunta que fiz no blog que lí anteriormente que tem a mesma postagem: que significa a palavra religião?

Não deveria se dizer a religiosidade em vez de religião?

Você gostaria de visitar meu blog e deixar comentário na minha última postagem?

Beijão amiga.

Atena disse...

Vera:
Taí, gostei de sua colocação: "a espiritualidade nos torna responsáveis pelo que somos". É isso mesmo.
Com certeza muito mais difícil do que ser marionete, comandados por alguém ou alguma organização.
Vou ler seu post. Até lá.
beijos

Atena disse...

Beth:
Realmente é um senhor texto. rsrs
Que bom que se achou nele.
Obrigada pela participação e beijos

Atena disse...

Guiomar:
Você me botou numa saia justa porque não sou especialista no assunto, mas vamos lá, vou passar a minha ótica.
Religião vem do Latim re-ligare, ou seja foi usada essa palavra no sentido de religar o homem com a Divindade. Contudo todas as religiões foram criadas pelos homens e como consequência sujeitas às suas falhas.
Todas as religiões têm regras, normas ou dogmas, já a Divindade não as tem.
Provavelmente em cada religião deve haver pessoas que vivenciam sua própria ótica do Criador, com seu próprio entendimento. Parece-me que você é assim.
As principais religiões do planeta são fundamentadas em cima de livros, dito sagrados, o Torá, a Bíblia e o Corão. Bom, a Bíblia foi escrito no mínimo 50 anos depois da vinda do Mestre, o Corão foi escrito passados 30 anos da morte de Maomé. Foram escritas com o entendimento dos homens sobre o que tinha sido canalizado. Então fica difícil não questionar ou mesmo não duvidar do que esses livros contém.
Eu sempre questionei e por não receber nem encontrar respostas lógicas ou verossímeis segui meu rumo sem acompanhar nenhuma religião.
Não sei se me fiz clara, mas se você ler meus posts com atenção acho que aos poucos ficará mais claro.
grande abraço e obrigada pela participação

Cleide de Paula disse...

Oi Atena,
Eu tenho religião (espírita) e também sou espiritualizada, pelo menos estou nesse caminho. Acho que uma coisa não exclui a outra. Mas também entendo perfeitamente o que o texto transmite, pois tenho amigos sem religião que são mais éticos do que muitos que se dizem religiosos.
Para ser sincera, não gosto muito de rótulos, acho que eles servem bem às embalagens, mas não às pessoas.
Ótimo post!
Abraço

Cidadão disse...

Muito bom o texto, me atrevo a dizer que procuramos a religião todas as vezes que não queremos encontrar as respostas!
Dogmas,normas regras aprisionam o espírito.
Pensar liberta! Quem pensa é livre, e para os "religiosos-profissionais", liberdade é tudo o que não pode ser exercitado, nasce aí (para eles) o pecado!
Então, pecar é ser livre?
Não! Mas ser livre é da natureza humana! Seja livre, pense, discuta, assuma seu lugar.

Atena disse...

Cleide:
Você está certa ao dizer que uma coisa não exclui a outra, mas no ocidente somente a religião Espírita e as africanas é que permitem a espiritualidade, as outras, com suas regras e dogmas não permitem a liberdade de pensar ou questionar.
Com relação a rótulos, realmente colocam as pessoas em compartimentos fechados e isso não é bom para o espírito.
Abraços

Atena disse...

Cidadão:
Que maravilha, encontro outro libertário!
Mandou bem. Acho que só na liberdade de pensar, questionar, duvidar é que encontramos a verdadeira liberdade, ou seja, sair da Matrix.
abraços

Guiomar Barba disse...

Atena,
Entendi que você denomina religião às regras, doutrinas e dogmas, assim como muita gente denomina evangélico às pessoas que frequentam um templo dito evangélico, embora não vivam absoutamente, os evangelhos. Lamento, porque as nomeclaturas perderam seu vedadeiro sentido, assim, quando eu digo que sou evangélica, logo sou incluida no grupo de pseudos evangélicos, mesmo quando lutamos par vivenciar a vida cristã de fato.

Comentei seu comentário no meu blog rsrs.
Beijão amiga.

♥ Lucy Sem Fronteiras ♥ disse...

Atena minha querida,

'ói nóis aqui traveis' rsrs

Amada, eu já conhecia este texto, mas é maravilhoso sim, e aliás, estou contigo e não abro! ;) E estou com o querido 'libertário', o Cidadão tb rs...rs

E na verdade, longe de dogmas, falsas crenças etc, a Espiritualidade, ao contrário do que a maioria ainda pensa, não está ligada nem com o fato de estarem 'ligados' a algum seguimento que acredite nos prinpípios espirituais.

A Espiritualidade é sim, inerente a todo e qualquer ser. Independente de seguimentos, crenças ou ausências destas.

Portanto nos desfaçamos principalmente das falsas crenças, e sejamos livres para pensar sentir e agir. Assumamos a nossa liberdade, inerente a todos nós (mas que muitos não dizem e nem 'contam' que temos) ;)

Beijinhos de meu coração direto ao teu minha querida!!

Ps: e ahhh duas coisas:
vai lá no blog, fiz um post ontém e ao publicar me lembrei de ti na mesma hora, e de mais alguns amigos muito queridos.
Assista ao vídeo, eu acredito que você vai adorar rsrs.
E outra, procurei aqui um email para te falar mas não encontrei.

Ache o meu por lá rsrs, e me encaminhe o teu, vou te passar umas dicas legais para vc divulgar seu cantinho de Luz e Consciência tb tá;)

Beijos :D

Atena disse...

Guiomar:
Taí: vivenciar a vida cristã é o caminho. Seguir os ensinamentos de paz, amor, compaixão que o mestre deixou para nós, isso é que é importante.
Eu vejo que as religiões mais atrapalham, afastam do Criador do que contribuem para isso.
abraços

Atena disse...

Lucy:
Tá ótimo seu comentário. Afinamos, né?
Vou deixar meu e-mail para você nos seu blog.
beijos

Ivan disse...

"Show de bola", Atena! Acho que vc deveria postar esse texto lá no Irreligiosos... SIM!
Mas isso é com vc, amiga.

Um forte abraço.

Atena disse...

Bem-vindo, Ivan.
Vou aceitar sua sugestão. Aguarde.
Vamos ver o que alguns cabeças duras que há por lá vão dizer. rsrs
abraços

Blogueiros do Brasil disse...

Orgulhosamente PUBLIQUEI uma 'chamada' para este ótimo artigo no NOVO SITE agregador de LINKS dos Blogueiros do Brasil (( http://omelhordos.blogueirosdobrasil.com/ )).

Abraços cordiais.

Atena disse...

Tiozão:
Muito obrigada.
abraços