"No Egito as bibliotecas eram chamadas Tesouro dos remédios da alma. De fato é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.”

(Jacques Bossuet).

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Por que morreram tantos na região serrana do Rio?

desastre

Porque escolheram assim. Era a hora deles. Um humano não é como peru de Natal que morre na véspera. Uma parte nossa decide o bom momento de ir embora, apesar dos que ficam vivos não entenderem nem se conformarem.

Tenho acompanhado as notícias e os mais diversos comentários sobre a catástrofe na região serrana do Rio de Janeiro e observado o emocionalismo suscitado.

Existe a mania de sempre achar um bode expiatório quando acontece esse tipo de desastres.

Vi comentários acusando as autoridades governamentais e a especulação imobiliária. Ok, talvez, e friso o talvez, o número de mortes teria sido menor se houvesse mais responsabilidade e interesse pelo povo por parte dos governantes, mas o que aconteceu na região foi além das áreas consideradas de risco. Alcançou proporções catastróficas, atingindo áreas habitadas por pessoas de classes econômicas mais altas. Ah, disseram, aí foi culpa da especulação imobiliária, como se fosse possível prever que um belo dia iria cair tanta água da montanha a ponto de invadir os vales. Quantos vales por esse Brasil a fora são habitados?

Há também um detalhe que não está sendo levado em conta: devido à ignorância das pessoas elas só vêem o risco quando o teto já está desabando, portanto eu não acredito muito que medidas de prevenção funcionem adequadamente, não para todos os envolvidos. As pessoas têm muito medo de deixar seus pertences.

Segundo uma declaração que ouvi de um especialista em Gerenciamento de Risco, Nova Friburgo inteira teria de ser realocada. E aí? Como?

Se quiserem botar a culpa em alguém que seja então no serviço de meteorologia, pois também disseram que na Austrália, onde a enchente foi maior, somente 20 pessoas morreram. Lá houve um alerta prévio aos moradores emitido pela meteorologia.

Estão comparando os dois desastres naturais, mas aí também está havendo carência de bom senso, pois as condições topográficas são completamente diferentes.

O ponto em questão é: a dificuldade humana em lidar com perdas massivas de vidas sentindo-se, portanto, impotente. É a ingênua pretensão humana de ter controle sobre tudo.

Não temos. Nesses momentos isso fica muito claro afetando então o raciocínio lógico das pessoas.

Como a consciência humana sempre foi limitada, nunca conseguimos ver o panorama total dos acontecimentos no planeta.

Por exemplo: numa sociedade cada vez mais individualista e autocentrada é exatamente esses desastres naturais que trazem à tona e à ação o inerente sentimento humano de solidariedade.

Nós estamos precisando disso, resgatar nosso humanitarismo, lembrar que é mais importante ser do que ter.

A futilidade chegou a um nível colossal como o demonstra a reportagem que a Folha de São Paulo de 09/01/11 publicou sobre os ricos e super ricos no balneário Jurerê Internacional de Florianópolis, onde: “Com amigos, ele pagou, em um dia, R$ 20 mil de consumação para ficar na piscina do Cafe de la Musique.”

Desastres grandiosos como esse da serra do Rio podem ser chamadas para o despertar humano da consciência. Servem para lembrar o que é mais importante: a vida!

Que tal levar isso em consideração e não só maldizer as autoridades ou qualquer outro bode expiatório?

Imagem: http://g1.globo.com/

Este blog foi criado para você, leitor. E só saberei se você está satisfeito se comentar os posts, ou então, pergunte, questione e sugira temas ou modificações.

8 comentários:

♥ Lucy Sem Fronteiras ♥ disse...

Olá minha querida Atena!!!!

Oxente, como gosto de 'ouvir' ocê vice!!! rsrs
É verdade, eu 'ouço ' quando leio, não é simplesmente um amontoado de letras combinadas entre si.

Mas vamos lá: primeiro, parabéns!!! Você colocou aí tudo ou muito mesmo, do que eu acredito tb.
Infelizmente, parece que ainda somente com estas catástrofes o ser humano, pára para pensar um pouco, e como vc bem disse acima, deixa falar mais alto a sua solidariedade, algo que é inerente a cada um de nós.

É triste,.. mas é triste mesmo (ainda que cada um tenha 'escolhido' dessa forma) vermos tantas tragédias ocorrendo, porque na verdade, tb poderia não ser mais assim.
Não. Não era 'preciso' não, morrer, sofrer, etc.
Se todos fôssemos despertos, isso não mais teria de acontecer. E é aí que lamento sabe.

E realmente chega a enjoar ler algo como:

"A futilidade chegou a um nível colossal como o demonstra a reportagem que a Folha de São Paulo de 09/01/11 publicou sobre os ricos e super ricos no balneário Jurerê Internacional de Florianópolis, onde: “Com amigos, ele pagou, em um dia, R$ 20 mil de consumação para ficar na piscina do Cafe de la Musique.”

Ora me poupe!!! Há pessoas que parecem que mesmo que despenquem os céus, ainda nem assim acordam. É o TER em detrimento do SER, onde a eles, parece que o restante do mundo nem mais existe, nem mais importa.
Fico a pensar, o que vai ser destes nossos irmãos (sim, tb são nossos irmãos, né!) quando tiverem de confrontar-se com a própria consciência e com mais acontecimentos futuros (nem tão futuros assim) que virão.
A prova ta aí. Nestes desabamentos no Rio, não importou se eram ricos ou pobres, brancos ou negros, a água veio e levou tudo pela frente, não escolhendo nivel social.

O que mais será preciso ocorrer, e quanto mais será 'necessário' (nunca, morrer deveria ser 'necessário') acontecer para que a humanidade desperte poxa?!
Afinal não há desculpa! Só não vê quem não quer. E aliás, lembrando que 'o pior cego é aquele que não quer ver'.

Nem vou entrar no mérito da questão quanto ao relacionado às autoridades, que claro, todos nós e eles inclusive, têm sua parcela de responsabilidade com tudo, afinal é o coletivo.
Porém, ainda quanto a enchentes, destaco um exemplo em SP:
- quando a água sobe, junto com ela tb 'sobe' sofás, pneus, geladeiras, lixo, tvs, etc e tals. E ainda assim, querem culpar o governo pelo ocorrido.
Então, acredito a reflexão deve ser mais ampla em todos os sentidos.
De qualquer forma, tanto quanto pudermos enviemos Amor, Luz, e as melhores vibrações de nossos corações, e o Universo irá se encarregar de distribuir onde houver necessidade.
E sejamos solidários tb, afinal, isto tb fará parte do Novo Mundo e quem quiser 'ir pra lá'...

Beijos no cuore, direto do meu minha querida!
Ora, não dá né?!

Principe Encantado disse...

Ser solidário é ser educado, enquanto não houver uma educação adequada para esse povo, não teremos a verdadeira solidariedade, pois ela advém do exercício da cidadania que a maioria desconhece.
Abraços forte

Atena disse...

anjo Lucy:
Aproveitou pra desabafar, é? rsrs
Eu sei como é, às vezes, independente do meu conhecimento, também fico assim: enojada e desapontada com os nosso irmãos.
É triste. Como você disse os desastres vão continuar, é a Mãe Terra se limpando e infelizmente continuaremos a ver nos noticiários tanta tristeza e dor.
Obrigada pela visita e beijos no seu cuore também

Atena disse...

Principe:
Falou e disse. Nosso povo precisa e muito de educação. Aliás, a ignorância é a mãe de todos os males.
Obrigada e abraços

CLAUDIA disse...

Olá Atena!
Sabe devido a tudo isso que aconteceu,levou muitas pessoas a tentar compreender o fato ocorrido.
Para mim no meu ponto de vista espiritual é carma coletivo.
E posso dizer que muitos dos acontecimentos que ocorrem na Terra,somos nós em geral que somos responsáveis,com esse egoísmo grotesco que carregamos em nossas almas,esses pensamentos de ingratidão pela terra que habitamos,esse gosto por notícias de tragédias,por notícias que fala mal dos outros,isso tudo gera para o planeta as guerras,os desentendimentos,as catástrofes,são nossos pensamentos agindo contra nós mesmos,muitos falam que são solidários,mas ser solidário é dia-a-dia.
É não esquecer a dor do outro,é como você bem falou é ser e não ter.
Parabéns pelo tema abordado,muitos querem achar um culpado para crucificar,assim como fizeram com Jesus.
Bjos em seu coração com cheirinho de Jasmin.

Atena disse...

Claudia:
Sim, nós somos os responsáveis por tudo o que acontece ao ser humano e à Mãe Terra, consciente ou inconscientemente.
Quanto a crucificar qualquer um, parece que é um mal que ainda vai perdurar por algum tempo, enquanto a consciência de todos não evoluir. Aliás, parece que você o foi recentemente, então sabe como é.
beijos

Renata disse...

Adorei o seu Blog. Parabéns, gostei demais

Atena disse...

Renata:
Obrigada pela visita e comentário. Seja sempre bem vinda.
abraços